Pesquisa aponta: hackers ainda preferem Windows XP

Por Redação | 17 de Outubro de 2014 às 13h30

Se tem um sistema operacional que fez sucesso entre todos os tipos de usuários, é o Windows XP. Utilizado por boa parcela de computadores pessoais no mundo todo, o sistema deixou de ter suporte oficial da fabricante, mas continua presente em várias máquinas espalhadas por aí. Unindo a resistência à facilidade de uso e, agora, à falta de suporte oficial da Microsoft, o sistema integra o alvo preferido dos hackers.

Segundo uma pesquisa da Proofpoint, no mundo todo, a parcela de computadores com o antigo sistema chega a 24%. Falando em números, isso representa 1,5 bilhão de máquinas – com o sistema registrado ou não. O Windows XP tornou-se presa fácil para os praticantes de crime digital, que veem no sistema uma porta escancarada para a criação de botnets, as famosas redes de computadores infectados.

De acordo com o estudo, um grupo russo composto por 500 mil computadores hackeados acaba de ser descoberto. A maioria dos alvos é originária dos Estados Unidos. Os computadores foram infectados pelo código malicioso Qbot, que rouba dados bancários e obtém informações sensíveis dos usuários, além, claro, de invadir e sequestrar a máquina para invadir data centers de empresas. Deste grupo, mais da metade usa o Windows XP.

Como o sistema já está defasado e não conta mais com suporte da fabricante, é altamente temerário mantê-lo rodando a esmo. O Windows XP já virou sinônimo de alvo para ataques e a solução mais plausível é atualizá-lo para uma versão mais recente.

O problema parece já ter chegado à Microsoft, que em 2015 deve lançar a versão final do Windows 10, bem como uma atualização gratuita para quem ainda roda o antigo Windows XP em suas máquinas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.