Nova política para desenvolvedores da Microsoft pode bloquear adwares de apps

Por Redação | 07 de Abril de 2014 às 08h39

A Microsoft se tornou mais criteriosa ao classificar programas como adware e deu três meses aos desenvolvedores para que eles se ajustem às novas políticas ou arrisquem ter seus programas bloqueados pelos sistemas de segurança dos produtos da empresa.

A principal mudança fica por conta da política que fala sobre o bloqueio de programas com adwares a partir de 1º de julho. No passado, a execução deles era permitida até que os usuários escolhessem uma das opções oferecidas pelos programas de segurança da Microsoft.

Apesar do bloqueio, a nova política também facilitou a inserção de publicidade em aplicativos para Windows 8.1 e Windows Phone. De acordo com informações da PC World, a partir de agora a Microsoft definirá um programa como adware baseado no princípio de que os usuários devem ser capazes de escolher e controlar o que acontece com seus computadores.

Serão considerados programas indesejados aqueles que promoverem bens e serviços dentro de outros programas, como navegadores. Para evitar ser classificado como adware e ser bloqueado, programas que tem publicidade devem exibir anúncios com um botão de fechar bem visível.

O anúncio também deverá informar o nome do programa que o gerou. A Microsoft até listou alguns sufixos e prefixos que podem ser usados para indicar quem gerou o anúncio, como "Anúncios por XYZ".

Geralmente adwares afetam a experiência de navegação do usuário e têm incomodado por anos, principalmente por causa dos desenvolvedores que os tornam propositalmente difíceis de remover completamente ou desfazer as alterações realizadas.

Pesquisadores da desenvolvedora do Avast classificaram barras de ferramentas para navegadores e extensões como um dos principais problemas para o usuário em 2013. As barras de ferramentas são difíceis ou impossíveis para um usuário médio desinstalar completamente.

Agora, com essas medidas, a Microsoft pretende pressionar os desenvolvedores para que eles se adequem às novas políticas o quanto antes.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!