Mulheres se comportam de forma mais segura na internet

Por Redação | 10 de Março de 2014 às 11h16

As diferenças de estilo de vida e visões de mundo já costumam ser associadas à longevidade maior das mulheres. Agora, tais aspectos também foram associados ao uso da internet. Um estudo realizado pela empresa de segurança Kaspersky Lab revelou que as usuárias assumem um comportamento mais seguro na internet e costumam correr menos riscos que os usuários.

O estudo foi realizado em parceria com a Universidade de Wuerzburg, na Alemanha, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, no último sábado (08). Nos resultados, foi possível perceber atitudes bem diferentes entre os sexos de acordo com o consumo de conteúdo na rede e o tipo de entretenimento buscado.

Enquanto a maioria dos homens entrevistados revelou acessar sites de download, pornografia e jogos, as mulheres afirmaram utilizar a internet como meio de comunicação, interagindo em redes sociais com amigos ou parceiros românticos. Na mesma medida, usuários do sexo masculino afirmaram ter sido mais alvos de malwares e vírus do que o gênero oposto.

A pesquisa também revelou que as mulheres assumem um comportamento mais atencioso e comunicativo em suas interações, assumindo assim posturas mais cuidadosas. Por outro lado, os homens muitas vezes esquecem os riscos envolvidos em suas atividades e, devido ao uso de sites muito visados por hackers, acabam se tornando alvos mais frequentes de malwares e de outros softwares maliciosos.

A dica de segurança da Kaspersky, porém, é a mesma para ambos os sexos: utilizar antivírus de confiança, manter o computador sempre atualizado e evitar clicar em links oriundos de fontes inseguras ou desconhecidas. Dessa maneira, boa parte dos problemas online podem acabar sendo evitados.

Em um estudo publicado em 2013, a Kaspersky já havia notado uma diferença na utilização da internet entre homens e mulheres. De acordo com os dados obtidos na época, o sexo feminino era mais cuidadoso em expor suas intimidades em redes sociais, preferindo as conversas privadas às mensagens públicas e dando muito valor à privacidade de suas informações.

Por outro lado, os homens se mostraram mais informados quanto aos perigos presentes na rede e mudavam suas senhas mais frequentemente que as mulheres. Mesmo assim, são eles os principais alvos de e-mails que trazem malwares ou links maliciosos em seu interior, utilizando a pornografia ou ofertas de dinheiro fácil como atrativos.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.