Microsoft vai permitir que usuários hospedem informações fora dos EUA

Por Redação | 24.01.2014 às 18:20

Em uma das primeiras medidas tomadas por uma empresa para lidar com a espionagem da NSA, a Microsoft anunciou que vai permitir que seus usuários internacionais hospedem informações em servidores fora dos Estados Unidos. De acordo com a empresa, a mudança acontece de forma a atender às reclamações dos clientes em relação à proteção dos dados e privacidade.

Outras companhias, como Google e Yahoo!, já cogitaram mudança semelhante, mas não a realizaram ainda devido a preocupações com custos. Mas para Brad Smith, que é membro do conselho da Microsoft, não é mais possível manter os dados de clientes de fora dos Estados Unidos sujeitos às brechas que a NSA impôs às empresas de tecnologia.

Para ele, em declaração ao jornal The Financial Times, os usuários precisam ser informados para fazer uma escolha consciente em relação à localização geográfica de seus dados. Da mesma forma, eles devem poder escolher não permitir que seus dados estejam sob leis e critérios de outras nações.

Não é a primeira vez que o governo dos Estados Unidos motiva mudanças nas políticas da Microsoft em relação à segurança de dados. No final de 2013, a empresa classificou a própria administração dos EUA como uma “ameaça persistente e avançada”, uma categoria de risco normalmente usada para designar grupos de terrorismo cibernético que trabalham para países estrangeiros.