McAfee apresenta nova solução de proteção de informações com biometria

Por Rafael Romer | 14 de Maio de 2013 às 15h32

A McAfee apresentou nesta terça-feira (14) o LiveSafe, uma nova solução para proteção de dados de login e informações sigilosas em múltiplos dispositivos. Segundo a empresa, o produto é focado nos usuários que utilizam cada vez mais dispositivos conectados ao mesmo tempo, sejam eles PCs, notebooks, Ultrabooks, smartphones ou tablets.

Além de fornecer segurança contra vírus, malwares e spam, o software oferece opções para gerenciamento de senhas, de forma semelhante ao aplicativos como o popular Lastpass. A vantagem do produto, no entanto, são as múltiplas formas de controle de acesso, que permitem combinar autenticações de reconhecimento facial, reconhecimento de voz, uso de PINs e tokens para a proteção de senhas.

O serviço ainda traz o chamado Personal Locker, um "cofre" que permite armazenamento de até 1GB de dados e documentos sigilosos na nuvem. Segundo a McAfee, o intuito não é fornecer um amplo serviço de backup na nuvem, como o Dropbox ou MediaFire, mas permitir a segurança de informações de grande importância, como registros financeiros e cópias de documentos, como passaporte e RG.

O LiveSafe também possui opções para o bloqueio e formatação de dados remotos de dispositivos roubados ou perdidos.

Vulnerabilidade de informações

Em uma pesquisa divulgada também hoje, a McAfee afirma que 57% dos consumidores do Brasil já possuem mais de um dispositivo digital. Mas, ao mesmo tempo que esses dispositivos ganham espaço entre os usuários, as ameaças também crescem. Desde o ano passado, o número de malwares focados no roubo de senhas, os chamados cavalos de Tróia, cresceu em 72%. Só no ambiente Android, considerado mais vulnerável, as ameaças cresceram 283% desde 2012. “É mais fácil você atingir o público que usa celular. É um público que ainda não percebeu que carrega um computador no bolso”, afirmou Jose Matias Neto, diretor de suporte técnico da empresa.

Dos entrevistados brasileiros, 81% responderam que estão preocupados em primeiro lugar com o roubo de identidade, furto de dinheiro ou fraude. Ainda assim, 68% dizem que não protegem seus smartphones, 33% que não protegem seus laptops e 81% seus tablets.

Para demonstrar como nossas informações sigilosas estão amplamente disponíveis na rede, a McAfee fez uma simulação durante a apresentação do LiveSafe, na qual um ator se passou por um dos jornalistas presentes na sala. Com informações coletadas na rede, o ator foi capaz de citar o time de futebol para qual o jornalista torcia, banda favorita, endereço de e-mail utilizado no extinto MSN Messenger e até o número de RG.

O LiveSafe estará disponível para venda física através de lojas do varejo a partir de julho por R$ 159,90 para a assinatura de 12 meses. Através de um acordo da McAfee, o serviço também estará disponível por R$ 59,90 (12 meses) em PCs e tablets novos adquiridos em algumas lojas e fabricantes específicos (ainda não divulgados). Uma licença do LiveSafe permite a instação do programa em um número ilimitado de dispositivos do mesmo usuário.

O LiveSafe estará disponível para as plataformas MacOS, Windows 8, iOS e Android. Ainda não há previsão da chegada do serviço para Windows Phone ou BlackBerry 10.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!