Mais de metade das PMEs não enxergam ataques virtuais como perigo

Por Redação | 11.12.2013 às 13:19

Uma pesquisa realizada com duas mil pequenas e médias empresas de todo o mundo revelou que os executivos da categoria ainda não veem como ameaça os ataques cibernéticos. Para 58% dos entrevistados, a segurança digital não é uma prioridade. Por outro lado, há uma atenção cada vez maior na proteção dos ativos, com mais de US$ 1 bilhão em investimentos nesse sentido.

O estudo, intitulado “Estratégia de Segurança”, foi realizado pelo Ponemon Institute e divulgado por meio de comunicado à imprensa. A análise também listou algumas das razões para esse tipo de comportamento. Além da falta de priorização, fator citado por 44% dos consultados, a ideia de que se tem um orçamento insuficiente e a falta de experiência no campo da segurança digital foram fatores citados por, respectivamente, 42% e 33% das companhias participantes.

Também foi revelado um baixo entendimento do papel do CIO e uma falta de preocupação com a segurança dos dados armazenados na nuvem. Além disso, não existe atenção especial aos aparelhos pessoais dos próprios funcionários, que recebem autorização para acessar arquivos importantes das empresas sem a devida proteção, uma vez que o executivo responsável por isso está ocupado com mais e mais funções diversas.

Aqui, temos um prognóstico complicado. 77% das empresas participantes do estudo afirmaram que veem aumento ou, pelo menos, não enxergam reduções no uso de serviços na nuvem, enquanto 69% afirmaram que o acesso à infraestrutura por meio de dispositivos móveis irá crescer. Um quarto dos entrevistados, porém, afirmou que os investimentos em segurança não devem aumentar na mesma proporção.