Kaspersky lista os 10 sistemas mais vulneráveis da tecnologia

Por Redação | 05 de Novembro de 2012 às 19h10

A Microsoft enfrentou vários problemas com segurança ao longo dos anos, mas, de acordo com o Kaspersky Lab, o sistema operacional de Redmond já pode ser usado com mais tranquilidade, pois parece que tudo está sob controle.

Os pesquisadores, inclusive, já lançaram a lista dos 10 produtos/empresas mais vulneráveis, e pela primeira vez, a Microsoft não marcou presença no rol graças às constantes melhorias realizadas no Windows 7 e no Windows 8. Os mecanismos de atualizações automáticas são citados como principais razões pela exclusão do sistema desta lista, e realmente fizeram um incrível trabalho ao evitar o ataque por parte de hackers.

Pelo jeito, nem a Apple estão mais tão segura contra ameaças da Internet.

Confira a lista dos 10 produtos mais vulneráveis e potencialmente perigosos e suas descrições, de acordo com o Kaspersky Lab:

1. Oracle Java e suas múltiplas vulnerabilidades: ataques conhecidos como DoS-Attack e Cross-Site Scripting ganham acesso ao sistema para executar códigos arbitrários, com privilégios do usuário local e conseguem acessar dados confidenciais.

2. Oracle Java e suas vulnerabilidades de árvore: graças à falta de proteção, os invasores conseguem acessar e executar códigos críticos com privilégios do usuário local. Extremamente crítico.

3. Vulnerabilidades do Adobe Flash Player: a falta de segurança do Flash da Adobe garante o acesso ao sistema para que os hackers executem códigos arbitrários, utilizando os privilégios do administrador e ganhando acesso a dados confidenciais.

4. Mais vulnerabilidades do Adobe Flash Player: hackers e invasores conseguem ultrapassar sistemas de segurança e executar códigos com privilégios do usuário local.

5. Adobe Reader/Acrobat e suas múltiplas vulnerabilidades: da mesma maneira, hackers conseguem burlar o sistema, acessá-lo e executar códigos arbitrários com privilégios de usuário local. Extremamente crítico.

6. Apple QuickTime e suas várias vulnerabilidades: garante o acesso ao sistema para que os hackers executem códigos arbitrários, utilizando os privilégios do administrador e ganhando acesso a dados confidenciais.

7. Apple iTunes e suas vulnerabilidades: garante o acesso ao sistema para que os hackers executem códigos arbitrários, utilizando os privilégios do administrador e ganhando acesso a dados confidenciais.

8. Winamp AVI/IT e vulnerabilidades de processamento de arquivos: permite que hackers acessem o sistema e executem códigos com privilégios do usuário local.

9. Adobe Shockwave Player e suas várias vulnerabilidades: permite que hackers acessem o sistema e executem códigos com privilégios do usuário local.

10. Vulnerabilidades do Adobe Flash Player: a falta de segurança do Flash da Adobe garante o acesso ao sistema para que os hackers executem códigos arbitrários, utilizando os privilégios do administrador e ganhando acesso a dados confidenciais.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.