Internet de todas as coisas: antivírus no carro, telefone e termostato

Por Colaborador externo | 17 de Junho de 2013 às 06h21

*por Yuval Ben-Itzhak

Quando falamos sobre AVG, muitas pessoas pensam no antivírus instalado em seu computador. Porém, ao longo dos próximos anos, isso deve mudar à medida que a avançarmos no campo da proteção de dispositivos conectados, independente de qual seja.

Com os usuários afastando-se dos computadores, vemos ótimas oportunidades na "internet das coisas". Nós, da AVG, estamos na vanguarda e já estamos trabalhando para aproveitar este novo momento. A base para este raciocínio é o fato de que a venda de computadores vem diminuindo e os mesmos veem sendo substituídos por tablets, smartphones e outros dispositivos que competem com os computadores domésticos. Isso representa uma oportunidade em vários níveis.

Além dos softwares antivírus, também passamos a criar ferramentas para otimizar o desempenho, como o AVG TuneUp, que analisa e ajuda a limpar os discos rígidos de computadores, melhorando seu funcionamento e evitando travamentos. Mas com os consumidores aderindo cada vez mais aos smartphones e tablets, a AVG passou a focar nesta tendência, disponibilizando o primeiro aplicativo de segurança a obter mais de 70 milhões de downloads no Google Play.

Para contribuir com a segurança e praticidade no uso dos dispositivos móveis, começamos a diversificar o portfólio de soluções com produtos como o Cleaner e o Tune Up para Android, que otimizam a memória e o consumo de energia, respectivamente. Outra novidade é o Image Shrinker, que reduz o seu tamanho das fotos, consumindo menos dados no momento do upload para redes sociais ou envio da imagem por email.

Internet of Everything

A mesma lógica vem sendo pensada para o desenvolvimento de aplicações para outros dispositivos, pois, em breve, viveremos em uma selva de dispositivos interconectados de vários fabricantes e em diversas plataformas. Você não pode simplesmente colocar tudo na nuvem. A questão é como conectar e proteger tudo? Como armazenar dados e como procurar por eles? É nisto que a AVG está se concentrando agora e é para onde a nossa visão está se dirigindo.

Com o tempo, acreditamos que quando os usuários quiserem conectar seu telefone móvel com a sua televisão, eles pensarão automaticamente no AVG.

Todo software e plataforma, em um momento ou outro, estão abertos a ataques de vírus e hackers. Por exemplo, o navegador de Firefox® era muito mais seguro do que o Internet Explorer®, mas isso até o Firefox ultrapassar um certo nível de popularidade. Quanto mais popular, maior a possibilidade de usuários com intenção maliciosa trabalharem em ciberataques. Hoje, os navegadores são equivalentes quando se trata de ataques de vírus e malware.

Os telefones celulares estão se tornando a ferramenta por meio da qual o dinheiro é gasto e, em muitos aspectos, são mais pessoais do que as nossas carteiras, com a grande quantidade e variedade de informação neles contidas. Esta é uma oportunidade dos sonhos para os hackers, pois comprometer esses dispositivos pode levá-los diretamente para nossos dados pessoais, incluindo as nossas contas bancárias. Como o número de dispositivos cresce, as pessoas vão buscar empresas que oferecem proteção contra hackers, como a AVG.

Claro, tudo tem os seus limites. O surgimento de dispositivos conectados, de carros a geladeiras, trará completamente novos desafios. Uma coisa que eu posso garantir é que a AVG estará lá.

*Yuval Ben-Itzhak é CTO da AVG Technologies

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.