Nuvem e dispositivos móveis serão os alvos dos cibercriminosos em 2013

Por Colaborador externo | 18 de Janeiro de 2013 às 11h30

*por Yuval Ben-Itzhak

O início do ano é um bom momento para pensarmos no que passou e projetarmos o futuro, pensando em quais serão os principais desafios do mercado da segurança online em 2013.

Vamos começar analisando como as ameaças evoluíram em 2012. Bem, eu diria que estiveram bem alinhadas às nossas previsões: golpes por meio da mídia social cresceram, “toolkits” mais sofisticados surgiram, aumento significante de malwares em smartphones, spam, phishing e sites fraudulentos continuaram a atingir os usuários, além da continuidade da disseminação de malware por meio de ”Cavalos de Troia”.

Em 2013, as ameaças “populares” continuarão vitimando empresas e consumidores, novas soluções para a segurança online serão desenvolvidas, os ataque focarão as informações armazenadas em nuvem e as ameaças criminosas à privacidade buscarão monetizar as informações pessoais roubadas.

Nossas vidas estão cada vez mais interligadas aos serviços online e isso faz com que o potencial de lucro dos ataques a esses serviços também cresça. Um dos principais alvos será o armazenamento em nuvem, que pode ser atacado para roubo de dados pessoais e financeiros. Porém, nem todas as ameaças online podem ser atribuídas aos mal intencionados. É importante que os usuários tenham consciência de que grandes empresas também podem tentar maximizar seus lucros utilizando seus dados sem sua permissão.

Com esse panorama em mente, apresento cinco tendências de ameaças para 2013:

  1. Privacidade: Publicidade online, tanto focada em usuários de PCs quanto em tablets e smartphones, será ainda mais personalizada, gerando lucros a partir do comprometimento da privacidade do usuário. Profissionais de publicidade rastrearão dados como atividades do navegador, nas mídias sociais e a localização geográfica para identificar potenciais consumidores e, a partir disso, enviar anúncios customizados sem a permissão do usuário;
  2. Segurança na nuvem: Ataques à nuvem evidenciarão a necessidade de reforçar a proteção. Há relatos de que alguns serviços populares, como Dropbox, SkyDrive, Cloud Drive (Amazon) e Google Drive já teriam sido alvos de ameaças e em 2013 a tendência é de que os ataques aumentem;
  3. Ameaças a dispositivos móveis: Por ser o sistema operacional mais popular, o Android é o principal alvo de malwares para smartphones e tablets. Com o aprimoramento da segurança na versão 4.2 do sistema, as ameaças devem tornar-se mais sofisticadas, para driblar sua detecção. A principal forma de disseminação serão as técnicas de infecção locais e não os aplicativos maliciosos;
  4. Riscos nos PCs: A aumento gradativo da popularidade do Windows 8 inspirará os hackers a descobrir e revelar as vulnerabilidades do sistema operacional, desenvolvendo novas modalidades de malwares e fraudes. O número de sites infectados que visam atacar PCs também crescerá e os usuários dependerão cada vez mais dos sistemas de segurança próprios do sistema operacional;
  5. Disseminação de ameaças de dispositivos móveis para PCs: A conectividade cada vez maior entre smartphones, tablets e PCs, combinada com o alto uso de equipamentos pessoais no ambiente de trabalho, aumenta a possibilidade de que os vírus e malwares se alastrem tanto nas redes domésticas quanto nas corporativas. Também esperamos registrar mais ameaças que tenham foco nos aplicativos de internet banking.

Como CTO da AVG Technologies, recomendo que, para garantir que você tenha boas chances de driblar os cibercriminosos em 2013, você atualize periodicamente seu antivírus, tanto nos dispositivos móveis quanto no PC. Que todos tenham um ano novo feliz e seguro.

* Yuval Ben-Itzhak é CTO da AVG Technologies

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.