Hackers invadem Skype para alertar usuários: 'Vocês estão sendo monitorados'

Por Redação | 02 de Janeiro de 2014 às 09h13
photo_camera Divulgação

2014 mal começou e já tem os primeiros ataques virtuais revelados. Depois que mais de 4 milhões de senhas e logins dos usuários do Snapchat foram roubados, agora foi a vez do Skype ter suas contas nas redes sociais invadidas por hackers do Exército Eletrônico Sírio (SEA, na sigla em inglês).

De acordo com o The Next Web, o grupo burlou a segurança do Twitter, Facebook e até do blog oficial do serviço para alertar os internautas de que estão sendo espionados. Nas mensagens, os hackers aconselham os usuários a não utilizar o Skype nem o Outlook.com, o serviço de e-mail da Microsoft, porque a companhia "monitora suas contas e vende os dados para os governos".

"Não use e-mails da Microsoft (Hotmail, Outlook). Eles estão monitorando suas contas e vendendo os dados para os governos. Mais detalhes em breve. #SEA", diz o post no Twitter do Skype, que teve mais de 8.000 retuítes antes de ser apagado duas horas depois da postagem, como informa o The Verge. A mesma mensagem foi publicada na fan page do Facebook e no blog oficial do Skype, além de um outro post no qual o SEA confirma a autoria das invasões.

Invasão do Skype

A BBC afirma que o Exército Sírio Eletrônico apoia o presidente Bashar al-Assad, que recentemente foi ligado a vários ataques hackers ao microblog e jornal The New York Times, além de outras empresas de mídia como CNN, The Guardian e a própria BBC.

A Microsoft ainda não se pronunciou sobre o caso, mas o Twitter do Skype afirma que os dados pessoais dos usuários não foram atingidos. A companhia foi uma das organizações acusadas de ajudar o serviço de inteligência americano a coletar informações dos usuários, de acordo com documentos secretos revelados em junho do ano passado por Edward Snowden, ex-técnico da Agência De Segurança dos Estados Unidos (NSA). Todas as empresas citadas, incluindo Google, Facebook, AOL, YouTube e Apple, negaram envolvimento.

No caso da Microsoft, o jornal britânico The Guardian afirmou na época que os documentos mostram que a NSA teve acesso aos principais produtos da companhia norte-americana, entre eles Hotmail, Outlook.com, Skype e o Skydrive, serviço de armazenamento na nuvem da empresa. Os arquivos ainda revelam que o Skype fornece dados dos internautas mesmo antes de ser comprado pela Microsoft, em 2011.

Também vale lembrar que, em janeiro de 2013, algumas organizações não-governamentais publicaram uma carta aberta alegando que o Skype grava e armazena em seus bancos de dados conversas de todos os usuários, mas que a direção do serviço não informa os motivos pelos quais intercepta e salva as mensagens. Atualmente, mais de 600 milhões de pessoas utilizam o programa em tablets, celulares e computadores.

Recentemente, a Microsoft e mais sete grandes empresas de tecnologia publicaram um manifesto que solicita aos governos de todo o globo, incluindo os Estados Unidos, uma reforma mundial no sistema de vigilância norte-americano e de outros países para garantir mais segurança às companhias e usuários. Leia mais.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!