Hackers do Snapchat explicam motivos por trás de vazamento de informações

Por Redação | 02.01.2014 às 21:40 - atualizado em 05.01.2014 às 21:18

Update: o Snapchat afirmou estar trabalhando em uma resolução para a falha. O próximo update do aplicativo deverá corrigir automaticamente o problema.

primeiras horas de 2014, o site SnapchatDB entrou no ar divulgando cerca de 4,6 milhões de nomes e números parciais de telefones de usuários do Snapchat, em sua maioria, residentes nos Estados Unidos. Para a alegria de praticamente todos, nenhuma imagem compartilhada pelo serviço foi liberada, mas ainda assim, a questão foi encarada como uma falha séria de segurança.

De acordo com o grupo responsável pelo ataque, a ideia é criar pressão para que o Snapchat resolva a brecha responsável pelo vazamento. O problema, relatado pela primeira vez no dia 24 de dezembro pela própria equipe do Snapchat, ainda não teria sido resolvido pelo serviço que, de acordo com os hackers, tem se mostrado relutante a apresentar uma solução definitiva.

Em vez disso, como relatado ao site The Verge, foram aplicadas uma série de pequenas medidas que, em teoria, dificultariam o acesso ao banco de dados. Além disso, os responsáveis pelo Snapchat teriam evitado contato com os descobridores originais da falha, mantendo uma postura de distanciamento.

A preocupação dos hackers – e o motivo pelo qual os telefones obtidos foram apenas parcialmente divulgados – é que alguém mal-intencionado possa utilizar os números e nomes de usuários para obter acesso a outros serviços. Como a maioria das pessoas tende a utilizar os mesmos logins em diversos deles, um acesso indevido seria facilitado, já que a maioria das opções online utiliza celulares como camada de segurança contra invasões ou perda de senha.

O SnapchatDB já foi retirado do ar, mas os responsáveis afirmam que se trata de uma ação do serviço de hospedagem contratado, que teria ficado intimidado com toda a atenção que o assunto recebeu. O serviço de fotos instantâneas pelo celular ainda não se pronunciou à imprensa nem entrou em contato com os hackers.