Governo é a principal ameaça à Internet, revela pesquisa

Por Redação | 07 de Julho de 2014 às 12h50

A segurança da informação sempre foi uma das principais preocupações dos usuários de computadores e desde a popularização da Internet essa preocupação só aumenta. Desde então, já vimos de tudo: de vírus inocentes até ransomwares que "sequestram" os computadores da vítima pedindo-lhes por "resgate". Apesar disso, nem tão cedo veremos o fim dessas pragas virtuais que assobram usuários domésticos, empresas e governos.

Pensando no que enfrentaremos no futuro, a Pew decidiu reunir vários órgãos governamentais e grandes corporações cujos negócios se concentram no mundo online para lhes perguntar quais serão as grandes ameaças nos próximos 20 anos. O resultado da pesquisa foi divulgado nesta quinta-feira (03) e reflete um pouco a atual conjuntura pós-Snowden.

Para a grande maioria dos mais de 1.400 entrevistados, a principal preocupação para os próximos anos é a espionagem governamental, que pode acabar minando a Web e subtraindo uma de suas principais características: a de ser um ambiente livre. Para os entrevistados, se nenhuma medida for efetivamente tomada, a Internet poderá sucumbir às regulamentações políticas que poderão limitar o acesso ao conteúdo - como já aconteceu, por exemplo, durante a Primavera Árabe.

Os especialistas acreditam que se esse cenário se confirmar, então os governos terão ultrapassado os limites e são grandes as chances de perdermos toda e qualquer liberdade na Web.

À Pew, o diretor-gerente da Discern Analytics, Paul Saffo, disse acreditar que "as pressões para 'balcanizar' a Internet são grandes" e não só continuarão, como também "criarão novas incertezas" à medida que os "governos se tornarão mais habilidosos em censurar o acesso a sites malquistos".

Esse mal-estar e desconfiança, segundo a pesquisa, surgiu principalmente após Edward Snowden vir a público e revelar todo o esquema de espionagem dos Estados Unidos e sua Agência Nacional de Segurança, a NSA, no ano passado. Para muitos dos entrevistados, tais revelações acabaram fazendo com que pessoas e empresas ficassem com um pé atrás em relação à Web.

Muito embora a principal preocupação seja com os governos, a pesquisa também revelou que o sinal de alerta foi ligado para as grandes corporações que também tentam seguir pelo mesmo caminho. Uma grande parcela dos entrevistados demonstrou apoiar a neutralidade de rede, amplamente debatida durante as votações do Marco Civil da Internet brasileira e agora em voga nos Estados Unidos, cujo objetivo é fazer com que provedores de acesso à Internet não discriminem os tipos de conteúdo.

Segundo um dos especialistas consultados, "são grandes as chances da neutralidade de rede acabar sendo minada". Neste caso, a opinião do público tem muito pouco apelo junto às grandes empresas, que no fim das contas poderão fazer com que seus interesses econômicos e políticos prevaleçam.

Por fim, para os entrevistados, a terceira maior ameaça vem das próprias companhias construídas sobre o ecossistema da Internet, como Facebook, Google e Apple. Ao que aparenta, neste caso, a maior preocupação é em relação à grande quantidade de dados e informações pessoais dos usuários que essas empresas possuem.

"Essas informações deveriam ser mais distribuídas e deveria haver menor controle sobre elas", defendeu Marc Rotenberg, presidente da Electronic Privacy Information Center. Para ele, o atual modelo de conceber uma ideia, vendê-la para uma grande corporação e depois simplesmente sumir do mapa não "terminará bem".

Intitulada Internet and American Life Project, a pesquisa conduzida pela Pew entrevistou mais de 1.400 especialistas em Internet de vários setores e áreas, desde acadêmicos, passando por teóricos, até profissionais de TI. Se você quiser ler o documento final na íntegra, ele pode ser conferido neste link (em inglês).

Leia mais sobre segurança da informação:

Fonte: http://m.washingtonpost.com/blogs/the-switch/wp/2014/07/03/researchers-asked-1400-experts-to-describe-the-biggest-threats-to-the-web-heres-what-they-said/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.