Governo chinês nega relação com ataque ao Outlook no último sábado

Por Redação | 23 de Janeiro de 2015 às 14h50
photo_camera GameFM

Após ataques hackers direcionados ao Microsoft Outlook.com da China no último sábado (17), o governo chinês negou que tivesse qualquer envolvimento com a ação e classificou como calúnia a tentativa de relacionar o ataque com o governo do país.

Em uma declaração nesta quinta-feira (22), a Cyberspace Administration of China (CAC) afirmou que “o governo chinês é um acérrimo defensor da segurança da Internet, e resolutamente se opõe a qualquer forma de ataque cibernético”, informa o site PC World.

O ataque que atingiu o serviço de e-mail da Microsoft teve 24 horas de duração e é do tipo “man-in-the-middle”, estilo comum de ser aplicado em ataques na China, afirmou o grupo anticensura e crítico ao governo, GreatFire.org. A Microsoft também confirmou que os ataques aconteceram, mas ressaltou que atingiram “um pequeno número de clientes”, que foram direcionados para um servidor personificando o Outlook.com.

Em outubro passado houve um ataque semelhante envolvendo a China no iCloud, da Apple, e, semanas antes, no Yahoo. Para o grupo GreatFire.org e outros analistas de segurança, as autoridades chinesas estariam por trás de tudo, uma vez que os hackers teriam que ter acesso a prestadores de serviços estatais para conseguir realizar os golpes.

A China sempre negou qualquer tipo de envolvimento com os ataques, razão pela qual não foi surpresa o governo ter novamente rejeitado as acusações do tipo. Dessa vez, no entanto, a autoridade cibernética do país criticou o GreatFire.org pelas acusações de que o governo estaria por trás dos ataques ao Outlook.com. “Está é uma especulação não provada, e puramente equivale a desinformação e calúnia de forças anti-China com base no exterior”, alegou o escritório do governo.

O grupo GreatFire.org é responsável por monitorar ataques cibernéticos na China e também busca burlar a censura do país quanto a conteúdos online, principalmente por meio da criação de sites espelhos daqueles que foram bloqueados na China pelo governo. As autoridades chinesas ainda acusam o GreatFire.org de lançar ataques contra o país.

Para finalizar as críticas ao GreatFire.org, o governo chinês afirmou que a acusação é uma tentativa do grupo ativista para “iniciar um descontentamento” da população, após a China ter fechado sites ilegais e deletado contas de redes sociais.

O GreatFire.org respondeu às críticas das autoridades chinesas e questionou por que o escritório sobre assuntos cibernéticos não estava se esforçando para investigar os ataques. “Se o CAC afirma que eles não são responsáveis, como poderia alguém entrar no backbone da Internet chinesa e implementar ataques em escala nacional por seis vezes ao longo de dois anos sem ser notado?”, questionou o grupo em um e-mail.

O grupo ainda afirmou que todas as denúncias feitas são apoiadas em dados concretos, finalizando com um questionamento: “como é que são infundadas?”.

Fonte: http://www.pcworld.com/article/2874672/china-denies-involvement-in-outlookcom-attack.html#tk.rss_all

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.