Falta de atualizações cria vulnerabilidades para usuário, aponta relatório

Por Redação | 24 de Fevereiro de 2013 às 10h35

Um relatório divulgado nesta quarta-feira (20) pela Kaspersky Lab revela que os usuários não têm o costume de atualizar software intalado em suas máquinas, o que gera vulnerabilidades para os usuários.

De acordo com a análise, programas populares como o Java, Adobe Reader e Adobe Flash ficam meses ou até anos sem atualização, o que representa ameaças que podem ser usadas para roubar dados particulares, realizar espionagem virtual em empresas e até na sabotagem de agências do governo ou sistemas industriais.

A pesquisa levantou os dados de mais de 11 milhões de usuários e revelou mais de 132 milhões de vulnerabilidades, uma média de 12 por usuário. Foram encontradas mais de 800 vulnerabilidades únicas, inclusive algumas que podem ser utilizadas como gateways para ataques direcionados a empresas.

Entre os programas com maior número de vulnerabilidades causadas por falta de atualização estão Adobe Shockwave e Flash Player, Apple iTunes, QuickTime e Java.

De acordo com o levantamento, apenas 28,2% dos usuários atualizaram o Java instalado em sua máquina para uma versão mais segura após seis meses de uso. Uma versão de 2010 do Flash, que poderia ter sido explorada por criminosos, foi encontrada em 10,2% dos computadores. Já uma vulnerabilidade descoberta no Adobe Reader em dezembro de 2011 foi encontrada em 13,5% dos computadores analisados.

"As empresas devem considerar esse problema com muita seriedade, pois as falhas de segurança em software popular tornou-se o principal meio de ataques direcionados bem-sucedidos”, afirma Vyacheslav Zakorzhevsky, especialista em pesquisa de vulnerabilidades da Kaspersky Lab.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.