Estudo revela que 40% das empresas não estão preparadas para ameaças virtuais

Por Redação | 11.12.2012 às 19:32

A B2B International, em parceria com o Kaspersky Lab, divulgou nesta terça-feira (11) os resultados do seu último levantamento sobre ameaças virtuais a empresas, e revelou que 41% das companhias não estão preparadas para reagir a ameaças digitais e outros golpes online.

O estudo ouviu 3.300 profissionais de TI de diversas empresas ao redor do mundo, incluindo o Brasil, com conhecimentos em políticas de segurança de TI, segurança de negócios e infraestrutura de pequenas, médias e grandes companhias.

Além da falta de preparo para lidar com as ameaças virtuais, a pesquisa ainda revelou que 48% das empresas não possuem sistemas eficazes para evitar o roubo de propriedades intelectuais e 51% dos profissionais entrevistados afirmaram que o sistema que operam ficaria completamente impotente diante de uma tentativa de espionagem industrial.

Ameaça virtual

Reprodução: BiteFight

Os pesquisadores afirmam que a conscientização dos funcionários sobre malware e riscos eletrônicos é fundamental para manter a segurança dos dados das empresas. A pesquisa revelou que 31% dos profissionais entrevistados não estão atualizados e informados sobre os mais recentes cavalos de Troia e outras armas cibernéticas.

Dos profissionais de TI entrevistados apenas 27% já ouviram falar sobre a Stuxnet, primeira ciber-arma, e 13% das pessoas consultadas conheciam o cavalo de Troia Dugu, usado para a captura de informações secretas segmentadas.

Abelino Ochoa, CEO da Kaspersky Lab para a América Latina, acredita que a implementação de novas políticas e a garantia de ação de cada uma delas ajuda a manter as empresas e seus dados mais seguros contra possíveis ameaças e ataques virtuais.