Estudo: crianças estão a 'três cliques' de conteúdos explícitos no YouTube

Por Redação | 06 de Fevereiro de 2013 às 10h35

A Kaspersky, empresa especializada em segurança, divulgou nesta terça-feira (5) os resultados do seu último levantamento sobre conteúdos explícitos na rede, afirmando que todas as crianças que assistem a conteúdos infantis extraídos de programas televisivos no YouTube estão a 'três cliques' de conteúdos considerados explícitos ou adultos. O estudo faz parte das atividades do Dia Mundial da Internet Segura, celebrado ontem (5). As informações são do The Guardian.

Em um dos casos analisados, o usuário estava assistindo a um clipe da 'Vila Sésamo' e na barra lateral do YouTube, que mostra indicações de outros vídeos, havia a indicação para um vídeo em que mostrava imagens de um parto normal. Os pesquisadores afirmaram que a barra lateral ao vídeo assistido indica muitos conteúdos envolvendo nudez e violência.

Outro estudo conduzido com 24 mil jovens revelou que 27% das crianças entre sete e 11 anos de idade e quase a metade dos adolescentes entre 11 e 19 anos havia encontrado no site de compartilhamento de vídeos algum conteúdo inapropriado no último ano. "É preocupante perceber o quanto é simples para uma criança encontrar vídeos com conteúdo adulto no YouTube", afirmou David Emm, pesquisador sênior da Kaspersky Lab.

Criança PC

Reprodução: The Guardian

O YouTube, assim como o Facebook, sugere que a idade mínima para navegar em suas páginas seja de 13 anos, mas as duas companhias não garantem que isso realmente aconteça. O site de vídeos mais popular do mundo também possui ferramentas de bloqueio de conteúdo, mas o Google afirma que a ferramenta não tem '100% de precisão' já que depende das classificações aplicadas a cada vídeo com conteúdo inadequado para funcionar.

"Encaramos com muita seriedade a segurança em nossas plataformas, e trabalhamos em estreito contato com organizações de caridade, outras empresas do setor e órgãos governamentais para proteger os jovens", explicou um porta-voz do site de compartilhamento de vídeos. "O YouTube oferece diversos recursos a pais e educadores, como um currículo online e ferramentas como o modo de segurança, que os pais podem usar para filtrar conteúdos e comentários que considerarem impróprios".

A Kaspersky e os pesquisadores afirmam que o resultado da pesquisa mostra a importância das crianças navegarem na internet com a supervisão de um adulto, já que muitas não têm orientação suficiente para discernir o que é apropriado e o que não é para sua idade, navegando com segurança na rede.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!