Estudo: 90% das ameaças móveis são destinadas aos aparelhos Android

Por Redação | 16.05.2013 às 13:14
photo_camera Seja Livre

A empresa de segurança F-Secure divulgou nesta semana uma nova edição do seu Relatório de Ameaças Móveis que identificou um aumento de 49% na presença de novas ameças virtuais no primeiro trimestre de 2013 em comparação ao quarto trimestre de 2012. E que 91,3% de todas as ameaças são destinadas ao Android.

Os pesquisadores puderam notar que o número de novas ameaças praticamente dobrou nos três primeiros meses do ano em comparação ao mesmo período do ano passado, quando 61 novas famílias de ameaças virtuais móveis e variantes foram identificadas - no primeiro trimestre deste ano foram identificados 149 novos malwares para o SO. Além de ser a plataforma preferida dos cibercriminosos, os malwares e vírus para Android estão ficando mais perigosos, como é o caso do Cavalo de Troia Stels.

O Stels não se propaga através de aplicativos para a plataforma móvel do Google, e sim através de e-mails spam que utilizam mensagens falsas de órgãos públicos como, por exemplo, da Receita Federal dos Estados Unidos. O objetivo do vírus é obter informações pessoais e bancárias que os usuários armazenam em seus dispositivos móveis, e obter lucro financeiro com ligações telefônicas para números premium.

"Imagine o seguinte: até então eu não tinha motivos para me preocupar com o Android da minha mãe, porque ela simplesmente não utiliza aplicativos. Agora, eu tenho um motivo para me preocupar porque, com casos como o Stels, o malware para Android também está sendo distribuído via spam, e minha mãe acessa seu e-mail pelo telefone", explicou Sean Sullivan, consultor de segurança da F-Secure, sobre a preocupação causada pelo surgimento de novos malwares para a plataforma.