Empresas irão dizer aos usuários quando seus dados forem acessados pelo governo

Por Redação | 02.05.2014 às 14:03
photo_camera scyther5

Quatro das maiores empresas de tecnologia do mundo decidiram alertar seus usuários quando agências do governo dos Estados Unidos solicitarem acesso a seus dados pessoais. A revelação foi feita em primeira mão pelo site do jornal The Washington Post.

Em matéria veiculada nesta quinta-feira (01), o jornal diz que Microsoft, Apple, Google e Facebook cansaram de esperar por uma resposta do governo norte-americano, a quem solicitaram permissão para revelar tal informação no ano passado, e decidiram adotar a prática por conta própria.

"Nossos clientes têm o direito de saber quando suas informações pessoais estiverem sendo alvo de interceptação e análise governamental", disseram as empresas ao jornal. Ao que aparenta, a ideia é desencorajar as constantes requisições do governo do país pelos dados dos usuários. "Estamos atualizando nossas políticas de modo a expandir notificações de rotina a usuários sobre sequestro de dados pelo governo, a menos que sejam devidamente respaldadas por um juiz ou outra autoridade judicial", disseram as companhias.

O Departamento de Justiça dos EUA, por outro lado, afirmou que a nova política adotada pelas empresas ameaça investigações e colocam pontenciais vítimas de crimes em grande perigo. "Estes risco à vida, destruição de evidências e permissão de fuga de suspeitos não são simplesmente hipotéticos, mas, infelizmente, uma realidade", disse o porta-voz do departamento, Peter Carr.

Apesar da decisão contrariar o governo norte-americano e especialistas, as empresas parecem estar decididas a seguir adiante. O Google, por exemplo, já atualizou suas políticas de privacidade nesta semana, acrescentando que os dados só serão retidos quando houver "risco iminente" de danos físicos a uma vítima de crime potencial. A Apple, por sua vez, disse que a política não está pronta, mas que deve ser anunciado até o final deste mês. Microsoft e Facebook anunciaram que estão trabalhando nas atualizações, mas que ainda não possuem nada concreto que possam divulgar.