Dicas para manter seu Android longe dos malwares na Páscoa

Por Redação
photo_camera Divulgação

Os tablets e smartphones são os grandes alvos da vez na indústria dos softwares maliciosos, ou malwares, que estão cada vez mais complexos e difíceis de serem detectados. O Android é a plataforma que mais movimenta cibercriminosos e, durante feriados prolongados, como será o desta Páscoa, o uso de dispositivos móveis aumenta, assim como as chances de ser infectado. Para evitar que os dias de folga virem incômodo, a Kaspersky Lab listou recomendações para que você se proteja contra esses ataques.

Só para ter uma ideia, em 2013 a Kaspersky Lab detectou mais de 143 mil novas modificações de programas maliciosos para dispositivos móveis. Desse total, mais de 98% foram descobertos em aparelhos com o sistema operacional Android. Abaixo, sete sintomas que seu dispositivo pode apresentar se estiver infectado:

Android doente
  1. Anúncios indesejáveis: pop-ups e outros anúncios insistentes e invasivos, assim como direcionamento inesperado, podem indicar presença de um adware.
  2. Picos de consumo de dados: se o dispositivo acusa um volume de dados muito maior do que seria utilizado para alguma função, pode ser que um arquivo malicioso esteja conectado constantemente a sites, anúncios, envio de mensagens ou até mesmo download de grandes arquivos indesejados.
  3. Faturas elevadas sem motivo: alguns tipos de malware têm a capacidade de enviar SMS para números considerados "Premium" ("0900" ou de cinco dígitos), o que pode aumentar os gastos telefônicos.
  4. Aplicativos não solicitados: malwares podem comprar ou baixar apps no Google Play e outras lojas virtuais, por isso, se notar a presença de algum aplicativo não solicitado, suspeite.
  5. Aplicativos com funções desnecessárias: eles também podem se disfarçar de aplicativos para buscar sua aprovação em prol de fins obscuros. Suspeite de solicitação de permissões sem sentido.
  6. Atividade estranha em contas online: mais comum em computadores, esse é um problema que também chega aos dispositivos móveis por meio de malwares que podem roubar senhas e outros conteúdos confidenciais.
  7. Aplicações que exigem dinheiro para desbloquear o dispositivo: menhuma empresa legítima que opera dentro da lei bloqueia o dispositivo e pede dinheiro para desbloqueá-lo.

Para evitar os malwares, o mais indicado é manter o dispositivo móvel protegido com softwares específicos de proteção antivirus disponíveis na Google Play Store. Além disso, a Kaspersky Lab também lista algumas recomendações que aumentam o nível de segurança:

  1. Não pratique 'jailbreak' no seu dispositivo;
  2. Configure um PIN ou uma senha para desbloquear a tela;
  3. Baixe aplicativos que procedam de fontes de confiança, prefira os de lojas oficiais;
  4. Não utilize redes Wi-Fi públicas ao realizar transações;
  5. Revise as permissões solicitadas pelos aplicativos;
  6. Armazene somente os dados confidenciais necessários no dispositivo utilizado;
  7. Instale a função de controle parental para evitar que as crianças comprem aplicativos ou conteúdo multimídia sem a permissão de adultos.