Cuidado: scammers podem lucrar com seu login no Facebook

Por Redação | 06 de Maio de 2013 às 11h20
photo_camera Mashable

Você deve saber que o caminho mais seguro para uma página na web é clicar em um bookmark ou simplesmente digitar o endereço desejado na barra do navegador. Mas ainda existem muitas pessoas que têm preguiça de fazer isso, ou não possuem experiência com páginas favoritas, bookmarks etc. Muitas vezes elas acabam apelando para um motor de busca, onde procuram por termos como 'Twitter login' ou 'Gmail login' para chegar onde desejam, mas essa não é uma boa ideia.

De acordo com o banco de dados de publicidade do Google, cerca de 151 milhões de pessoas procuram pelo termo 'Facebook login' no gigante das buscas todos os meses. Mas, por outro lado, os scammers também costumam utilizar esses termos como palavras-chave para criar sites falsos, aparecer nessas pesquisas e redirecionar os usuários para onde quiserem. O alerta é do pessoal do Wired.

Quando isso acontece, ao invés de ir para o Facebook, conforme esperado, o usuário acaba em uma página repleta de textos estranhos, com anúncios piscando para todos os lados. Uma vez capturados, esses usuários são encorajados a clicar em anúncios ou instalar uma barra de ferramentas no navegador capaz de mudar o mecanismo de busca padrão. O proprietário do site ilícito ganha uma comissão por cada clique em anúncios e em consultas nessa barra de ferramentas de busca que foi instalada.

Mas esse ainda é um cenário relativamente tranquilo se imaginarmos outra opção resultante dessa busca por logins: hackers. Eles podem utilizar um site falso, bem parecido com o original, para fazer com que o usuário forneça seu login e senha e acabe completamente vulnerável aos cibercriminosos.

O motor de busca escolhido pelo usuário na hora de realizar suas pesquisas também pode fazer muita diferença na hora de ser redirecionado ou não para sites maliciosos. Uma pesquisa recente apontou que o Bing, por exemplo, pode ser muito mais perigoso do que o Google. Os dois motores tiveram cerca de 10 milhões de sites testados, e o Bing retornou 1.285 sites maliciosos, enquanto o Google trouxe apenas 272.

Em geral, os usuários mais assíduos de tecnologia não costumam ser enganados por essas "pegadinhas" relacionadas a sites de login nos motores de busca, mas é sempre bom alertar aqueles que não são tão familiarizados com os golpistas da web.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.