Ataques DDoS aumentaram 47% no primeiro bimestre de 2014

Por Redação | 22.04.2014 às 11:43
photo_camera Info Lab

A última pesquisa da Akamai Technologies e da Prolexic, empresas especializadas em segurança, revelou um aumento de 47% na quantidade de ataques DDoS no primeiro bimestre de 2014 comparado ao mesmo período em 2013. Apesar de ocorrerem com maior frequência, a média de duração dos ataques caiu pela metade, indo de 35 para 17 horas.

"Inovações no mercado de DDoS resultaram em ferramentas que infligem maior dano com menos recursos", mostrou a pesquisa. "O grande volume de ataques no 1º bimestre se tornou possível por conta da disponibilidade de ferramentas de DDoS fáceis de usar no mercado de DDoS como serviço. Essas ferramentas podem ser utilizadas com habilidades mínimas por parte do agressor".

Segundo relato do TechRadar, a indústria de mídia e entretenimento foi a mais afetada pelos ataques, correspondendo a 50% do total. Em segundo lugar ficou o setor de software e tecnologia, com 17%. Ataques a infraestruturas sofreram aumento de 68% em frequência, mas houve queda de 21% nos ataques a aplicativos.

O país que mais originou ataques foi os Estados Unidos, com 21%, seguido pela China, com 19% do total.

O maior ataque DDoS já registrado até o momento foi realizado em fevereiro deste ano contra o serviço de hospedagem de sites Cloudfare, com pico de 400 Gb/s. Em março, o WordPress também sofreu com a tática, quando 100 mil páginas do serviço foram incorporadas a um botnet que as forçou a lançar ataques DDoS.

DDoS significa Denial-of-Service Attack, ou Ataque de Negação de Serviço, em inglês. Eles têm por objetivo tirar do ar uma máquina ou servidor. Entre os métodos mais comuns de provocar o ataque está forjar e direcionar uma grande quantidade de IPs para um servidor específico para causar sobrecarga de tráfego, gerar lentidão e eventualmente o tirar do ar.