As celebridades mais perigosas da internet em 2013

Por Redação | 19 de Setembro de 2013 às 13h07

A empresa de segurança McAfee divulgou esta semana a sétima edição de seu estudo mundial que elenca as celebridades mais perigosas da internet. O levantamento indica os famosos que mais tiveram seus nomes usados como iscas em crimes cibernéticos durante o ano.

No Brasil, quem ficou no topo do ranking foi a atriz Juliana Paes – eleita pelo segundo ano consecutivo – seguida pela também atriz Claudia Abreu e pela modelo Adriana Lima. O Top 10 dos nomes de brasileiros que mais figuraram entre malwares e afins conta com atletas, um empresário, modelos e até mesmo um humorista.

celebridades perigosas

A modelo Adriana Lima também figurou no ranking global das celebridades mais perigosas da web. Na verdade, o "McAfee Most Dangerous Celebrities" revelou que as mulheres são mais perigosas do que os homens, com nove integrantes do sexo feminino contra apenas um do sexo masculino (Jon Hamm) no Top 10 global.

Lily Collins foi considerada a celebridade mais perigosa do ano para procurar na web. Filha do roqueiro Phil Collins, Lily ganhou fama como atriz em filmes como "Um sonho possível", "Espelho, espelho meu", "Padre" e "Os instrumentos mortais: Cidade dos Ossos". Quando você procura por fotos ou downloads de Lily Collins você tem uma chance de 14,5% de cair em uma página que contenha spam, adware, spyware, vírus ou outro tipo de malware.

Celebridades mais perigosas da web 2013

Ranking global das celebridades mais perigosas para se buscar na web Imagem: Reprodução / McAfee)

A McAfee diz que os cibercriminosos aproveitam o interesse do consumidor em premiações, novos filmes e programas de TV como isca para seus golpes. Eles capitalizam em cima do fascínio do público pela vida das celebridades, atraindo as pessoas para sites carregados de malwares que lhes permitem roubar suas senhas e informações pessoais.

"Os consumidores de hoje são muitas vezes completamente inconscientes dos riscos de segurança na busca de celebridades e notícias de entretenimento, imagens e vídeos online, eles sacrificam a segurança pelo imediatismo", disse Paula Greve, diretora de Pesquisas de Segurança da Web da McAfee. "Os cibercriminosos atacam a dependência dos consumidores por notícias e utilizam esse comportamento para levá-los a sites inseguros que podem infectar severamente seus computadores e dispositivos".

A McAfee dá algumas dicas para se proteger contra esses malwares:

  • Tenha sempre cuidado com links para conteúdos gratuitos ou ofertas "boas demais para ser verdade" (geralmente elas não são).
  • Seja cauteloso ao pesquisar sobre temas que estão em alta, pois muitas vezes os cibercriminosos se aproveitam deles para criar sites falsos e maliciosos.
  • Verifique se o endereço da web contém erros orográficos ou outros indícios de que o link pode levar a um site falso.
  • Mantenha sempre seu antivírus atualizado.
  • Não faça download de vídeos em sites suspeitos.
Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.