Android é alvo de 99% dos programas maliciosos móveis

Por Redação | 28.08.2014 às 14:01
photo_camera Divulgação

O número de Trojans bancários em dispositivos móveis triplicou desde o início do ano, alcançando 4.500 programas maliciosos, contra 1.500 registrados no começo de 2014, segundo o relatório de Malware do segundo trimestre de 2014, elaborado pela Kaspersky Lab, de acordo com o site Pplware.

Os dados da empresa de segurança mostram um crescimento motivado pelo interesse de cibercriminosos em somas cada vez maiores de dinheiro e uma resistência das companhias de antivírus, que fazem os cibercriminosos desenvolverem novos Trojans para alcançar seus objetivos.

Os países que lideram o ranking dos mais atacados por Trojans bancários móveis são: Rússia, Estados Unidos e Ucrânia. A lista tem ainda a participação, respectivamente, de: Itália, Bielorrússia, Coreia do Sul, Cazaquistão, China, Inglaterra e Alemanha.

Trojans globo

Mesmo com o aumento da presença de Trojans bancários móveis, foi registrada uma queda de 1,7 vez no volume total de malwares móveis em comparação com o primeiro trimestre. No segundo trimestre, a equipe da Kaspersky Lab detectou 727.790 pacotes de instalação, 65.118 novos programas maliciosos móveis e 2.033 novos Trojans bancários móveis.

O sistema operacional Android é ainda o principal alvo dos cibercriminosos e foi alvo de 99% do total de programas maliciosos móveis. Mesmo com a expressiva dominação, a Kaspersky Lab recomenda que usuários de outros sistemas operacionais móveis não se descuidem. Uma das razões para isso é um novo software malicioso voltado para iOS.

Neste segmento a Rússia se mantém como país mais atacado do mundo, com mais de 10% dos ataques, acompanhada na sequência por Ucrânia, Vietnã e México.

Entre as formas de ataques mais frequentes para dispositivos móveis no segundo trimestre estão as aplicações publicitárias não desejadas, com 27%, e em seguida os Trojans SMS, com 22%. Embora estes dois tipos sejam mais frequentes, o malware Rikstool subiu sua participação de quinto para terceiro no ranking, indo de 8,6% da participação para 18%.

Um novo tipo de Trojan identificado no período pela Kaspersky Lab usa cifra de dados e é voltado para o Android. Após inicializado, o Trojan usa o algoritmo de encriptação AES para cifrar o conteúdo do cartão de memória do smartphone e exibe uma mensagem de pagamento de resgate em dinheiro para que o usuário tenha acesso novamente aos dados. Foram identificadas 47 versões diferentes deste Trojan até o final do segundo trimestre.

O período apontou uma forte tendência para o sequestro de dispositivos e extorsão para a recuperação deles. É o caso de Trojans que bloqueavam o aparelho, afirmando que o proprietário havia acessado sites de pornografia infantil, sendo necessário pagar uma “multa” para o desbloqueio.

Com o aumento da ocorrência de programas maliciosos bancários móveis, com o objetivo de extorsões financeiras, a Kaspersky Lab indica o uso de soluções de segurança móvel para os dispositivos, como a tecnologia Safe Money, para proteger o aparelho durante operações bancárias online e pagamentos eletrônicos.

Como alternativa para segurança, a empresa possui a plataforma Kaspersky Fraud Prevention, voltada para a proteção de transações financeiras em computadores e dispositivos móveis.

Fonte: http://pplware.sapo.pt/smartphones-tablets/android/99-dos-ataques-sao-direccionados-para-android/