78% dos usuários brasileiros não confiam mais em senhas tradicionais

Por Redação | 21.07.2015 às 08:21

Há algum tempo, dezenas de entidades do mercado de tecnologia anunciaram novos métodos de autenticação que prometem substituir as senhas tradicionais, mas as mudanças nesse conceito não são defendidas apenas pelo setor empresarial. É o que comprova um novo estudo da Accenture, que revela que mais da metade dos usuários já não confia mais nas sequências de letras e números usadas para acessar um determinado serviço.

De acordo com o relatório, 60% dos consumidores acham complicado ter que digitar nomes e senhas e 77% preferem recorrer a outras alternativas para manter a segurança de seus dados na internet. Os consumidores mais preocupados em adotar métodos diferentes dos tradicionais são os chineses (92%), seguidos pelos indianos (84%). Cerca de 78% dos brasileiros, mexicanos e suecos também estão dispostos a considerar novas maneiras de segurança que fogem da regra comum. Nos Estados Unidos, esse índice chega a 74% dos internautas.

"Os consumidores estão cada vez mais frustrados com esses métodos tradicionais, pois estão se tornando menos confiáveis para proteger dados pessoais como endereços de e-mail, números de telefone celular e histórico de compras", destaca Robin Murdoch, diretor executivo de Internet e Social Business da Accenture. "A prática difundida de digitar nomes de usuário e senhas para se conectar à internet deve se tornar obsoleta em breve".

O levantamento também mostrou que menos da metade (46%) dos consumidores no mundo está confiante em relação à segurança de seus dados pessoais. Usuários em países emergentes demonstraram estar um pouco mais confiantes com relação à segurança dos dados que os consumidores de países desenvolvidos: 50% e 42%, respectivamente.

"Em países emergentes e desenvolvidos, a cautela do consumidor com relação à privacidade e dados e segurança digital está se intensificando conforme o mercado crescente da Internet das Coisas gera quantidades sem precedentes de dados de consumo em mais dispositivos", afirma o executivo da Accenture.

Baseada em entrevistas com 24 mil consumidores de seis continentes, a pesquisa está resumida em um relatório chamado Digital Trust in the IoT Era (Confiança Digital na Era da Internet das Coisas, na tradução livre).