5 dicas da ESET para aumentar a segurança de aparelhos domésticos conectados

Por Redação

A 'Internet das Coisas' ou simplesmente IoT, em inglês, é o termo utilizado para caracterizar o mundo em que vivemos hoje, onde há cada vez mais dispositivos conectados e 'conversando' entre si. Atualmente, o que há de mais comum nas casas são TVs, roteadores, laptops e celulares interagindo de forma quase orgânica com o usuário utilizando a tecnologia embarcada nesses produtos para integrá-los de forma inteligente. Entretanto, é preciso alertar que quanto mais complexo um eletrodoméstico fica, mais falhas de hardware e software ele pode apresentar no futuro.

O relatório "Tendências 2016: (In) Security Everywhere" lançado pela ESET, responsável pelos softwares anti-vírus homônimos, alerta para as falhas de segurança que esses dispositivos inteligentes podem apresentar. Para Camillo Di Jorge, representante da marca no Brasil, a principal ameaça é o fato das pessoas não imaginarem que esses eletrônicos e eletrodomésticos inteligentes são tão vulneráveis à ataques de softwares maliciosos quanto seus computadores e smartphones.

Segurança na Web

(Imagem/Reprod.: MediaBuzz)

O próprio representante afirma que os riscos são muitos e estão por toda a parte, por isso, a melhor forma de se proteger contra eles é adotando o uso de ferramentas tecnológicas adequadas e utilizar essas tecnologias com o objetivo de reduzir a exposição delas ao risco. Di Jorge diz que o usuário deve estar atento e manter um comportamento de sempre estar em alerta. Da mesma forma que você não se coloca em risco numa situação real, não deve colocar seus eletrônicos em risco os expondo, ele explica.

Você pode ler o relatório original aqui, em inglês. Abaixo, estão cinco das principais medidas descritas no documento da ESET sobre como aumentar a segurança virtual dentro da sua casa no que diz respeito à aparelhos eletrônicos periféricos e com conectividade.

Sempre altere a senha padrão de seus dispositivos

ESET Segurança

(Imagem/Reprod.: Mashable)

O maior exemplo deste caso está nos roteadores domésticos. Grande parte das fabricantes utiliza um sistema padrão de login e senha de acesso para seus roteadores, isso é uma brecha enorme na segurança de todos os dispositivos conectados da sua casa já que essas duas informações podem ser facilmente encontradas com uma pesquisa rápida sobre as especificações do roteador a ser invadido.

É válido lembrar que outros aparelhos também costumam utilizar uma senha e login padrão, igual para todos os modelos de uma linha ou de uma fabricante. As câmeras de circuito interno de imagens mais modernas, por exemplo, capturam vídeos sem a necessidade de um sistema externo, a maioria delas conta senhas iguais para todos os modelos similares e por isso podem ser facilmente invadidas por pessoas ou softwares mal-intencionados.

Opte por senhas seguras. Elas não precisam ser complicadas ou grandes demais, só precisam ser fáceis de lembrar e complexas o suficiente para não serem descobertas, uma forma interessante de criar boas senhas é transformar frases inteiras em um conjunto de letras e números, utilizando as iniciais de cada palavra como uma letra. Uma boa senha costuma ter pelo menos oito caracteres, incluindo maiúsculos e minúsculos, e também deve utilizar números.

Não utilize aparelhos inseguros para armazenar arquivos pessoais

ESET Segurança

(Imagem/Reprod.: ITimes)

Embora pareça óbvio, nem sempre o usuário se assegura que um dispositivo está protegido antes de transferir arquivos pessoais para ele. Proteção nem sempre diz respeito a utilizar um software anti-vírus, um dos bons exemplos dados pela ESET é não deixar eletrônicos que contenham arquivos importantes com crianças ou pessoas que podem, mesmo que não-intencionalmente, acabar expondo essa máquina a riscos de ser invadida.

Um outro ponto a ser levado em questão é: a partir do momento em que o seu smartphone está conectado ao seu computador, sua TV e outros aparelhos numa mesma rede wi-fi, uma única falha em um dos elos dessa corrente pode acabar expondo todos os aparelhos conectados entre si. Não é necessário se desesperar, também, o principal modo de proteger todos esses dispositivos é não expô-los a conteúdos de procedência duvidosa, primeiramente.

Bloqueie as câmeras

ESET Segurança

Este é o Macbook Air de um diretor do FBI, a webcam do aparelho está coberta com uma nota autoadesiva (Imagem/Reprod.: TechTimes)

Ferramentas de acesso remoto podem ser uma grande janela virtual para que cibercriminosos possam roubar informações pessoais por meio das webcams e microfones presentes na sua casa. Quando um desses dispositivos não estiver em uso, é recomendável que o usuário desligue-os, para garantir a segurança do ambiente.

É válido lembrar que nem todos estão na mira dos hackers como pessoas de grande visibilidade mundo a fora, porém, não é incomum que táticas utilizadas para extorquir e expor grandes alvos também sejam utilizadas para o mesmo com pessoas comuns do cotidiano, principalmente por que elas não esperam ser vítimas desse tipo de ataque.

Entenda o funcionamento dos seus eletrônicos

ESET Segurança

(Imagem/Reprod.: CDANews)

Conhecimento nunca é demais, por isso a ESET recomenda que você sempre conheça as vulnerabilidades de um eletrônico que você utiliza. Assim como na hora de comprar uma peça de mobília, é preciso pensar em como um determinado aparelho pode lhe servir bem ou lhe prejudicar, essa escolha deve levar em conta as preocupações do fabricante com as falhas de segurança que esse eletrônico possui.

Um exemplo bastante claro é o do Android, há alguns anos esse que é o sistema operacional móvel mais utilizado do mundo também carregava o título de sistema mais vulnerável do setor mobile. Frente as críticas de consumidores e especialistas essa realidade mudou e hoje o Google, responsável pelo desenvolvimento do Android, lança atualizações de curto intervalo para garantir que as brechas de segurança encontradas sejam rapidamente corrigidas.

Assegure que o seu firewall está atualizado

ESET Segurança

(Imagem/Reprod.: BaiduGuide)

O firewall não é algo que compreende apenas os computadores com Windows. A ESET afirma que todos os roteadores devem contar com um firewall ativo, pré-definido pela fabricante, nele é recomendado utilizar senhas WPA/WPA2 em vez de WEP, um padrão menos seguro e abandonado pela indústria em 2003. As senhas WPA/WPA2 contam com criptografia de 256 bits e por isso garantem uma segurança muito maior a quem as utiliza em suas redes.

Embora muitos entusiastas já estejam familiarizados com essas dicas, não é de nenhum mal conferir se tudo está seguro e protegido. Por fim, é necessário ressaltar que a maior proteção para o usuário da web sempre será ele mesmo, não acesse conteúdos de origem desconhecida. Sempre verifique a procedência de páginas que você visita, principalmente as relacionadas a dados bancários ou de grande importância.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.