3 dicas importantes para esconder seus rastros online

Por Sérgio Oliveira

Engana-se quem pensa que navegar na internet é algo completamente seguro e anônimo. Na verdade, tudo o que é feito online fica registrado em algum lugar, podendo ser rastreado por pessoas, empresas e até mesmo as companhias donas dos sites que você visita.

No fim das contas, por onde passamos deixamos rastros do que pesquisamos, compramos, visitamos, enfim, de tudo o que fizemos nos mínimos detalhes. Dessa forma, se você é daqueles usuários mais preocupados com sua privacidade online, é chegada a hora de aprender um pouco sobre como encobrir as marcas que você deixa no mundo virtual.

Confira três dicas importantes sobre como controlar seus rastros online.

1. Cuidado com as redes sociais

As redes sociais são verdadeiros caldeirões de informações pessoais e a falta de configuração adequada de privacidade escancara as portas para pessoas mal-intencionadas em busca de dados pessoais. Independentemente da rede social que você utiliza, invista algum tempo revisando como estão suas definições de segurança e privacidade para evitar que algo pior aconteça.

No Facebook, por exemplo, isso pode ser feito clicando no cadeado localizado na porção superior direita da rede social. Lá você encontrará um resumo das suas definições de privacidade, podendo se aprofundar no assunto clicando em "Veja mais configurações" no menu suspenso que aparece.

Atente para suas configurações de privacidade no Facebook para não deixar suas informações dando sopa

Atente para suas configurações de privacidade no Facebook para não deixar suas informações dando sopa (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Também vale checar quem poderá ver suas publicações sempre que você for postar algo por lá. Para isso, basta clicar no botão ao lado do "Publicar" no compositor de posts e definir quem poderá ver aquilo que você está prestes a soltar no Facebook. Essa é uma medida que pode parecer boba, mas que pode livrar muita gente de encrenca - afinal de contas, você não quer que seu chefe veja que você está reclamando do dia terrível de trabalho.

Sempre verifique quem poderá visualizar a sua publicação no Facebook

Sempre verifique quem poderá visualizar a sua publicação no Facebook (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Saiba mais:

2. Utilize múltiplas identidades

Talvez você não saiba, mas informações cadastrais que você fornece a um site podem ser compartilhadas com um outro, que por sua vez as completará com o que você entregar a ele. Dessa forma, sem que você saiba, grandes portais acabam traçando um perfil completo e tendo uma boa noção de quem você. Para se proteger dessa prática, cujos detalhes ficam escondidos nos termos de uso e privacidade que ninguém lê, a melhor saída é tentar criar várias identidades.

Raramente alguém conseguirá identificá-lo pelo seu nome - afinal de contas, imagine quantas pessoas têm o mesmo nome que você. No entanto, o endereço de e-mail é algo único e que só você deveria usar. Sendo assim, a principal dica é utilizar endereços diferentes para cada website que você precisar se cadastrar. Outra informação que é bastante utilizada na hora de rastrear alguém é o número do cartão de crédito - portanto, tente diversificar o uso deles.

Sem dúvidas esse é um trabalho que exige bastante dedicação e os mais atarefados podem simplesmente chutar o pau da barraca para lidar com as consequências no futuro. No entanto, há extensões que auxiliam nessa atividade. É o caso da Blur, uma extensão gratuita para Chrome e Firefox que mascara seu endereço de e-mail em formulários de cadastro, criando um endereço aleatório que no fim das contas redirecionará toda e qualquer mensagem para o seu correio eletrônico verdadeiro.

Quem estiver interessado em fazer o mesmo com o cartão de crédito, existe a opção de assinar a Blur por US$ 39 anuais. Com acesso à versão Premium do software, o usuário pode mascarar não só o cartão de crédito, como também seu número de telefone.

3. Navegação anônima

A última dica é sempre navegar em abas anônimas quando quiser que o computador não armazene cookies, histórico de navegação e afins. Todos os navegadores mais populares da atualidade contam com essa opção: no Chrome, ela é chamada de "janela anônima"; no Firefox, "janela privativa"; enquanto que no Edge ela atende pelo nome de "InPrivate".

A navegação anônima ajuda a proteger informações básicas, impedindo que o navegador armazene cookies e históricos de navegação e download

A navegação anônima ajuda a proteger informações básicas, impedindo que o navegador armazene cookies e históricos de navegação e download (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Embora atenda a necessidade do usuário comum, é importante frisar que a navegação anônima não é totalmente segura e pode causar alguns problemas se não utilizada corretamente. Nesse caso, a solução ideal e definitiva é utilizar o Tor Browser, que garante uma navegação quase que 100% anônima, escondendo inclusive o endereço IP do usuário e criptografando os dados de ponta a ponta, de maneira a dificultar o rastreamento da comunicação.

Tem mais alguma dica de privacidade para tornar a navegação dos demais leitores mais segura? Compartilhe conosco na caixa de comentários aqui embaixo. Participe!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.