2014 já registrou o dobro dos ataques DDoS identificados no ano passado

Por Redação | 21.07.2014 às 12:10

Os ataques de negação de serviço, voltados a sobrecarregar servidores e serviços com uma grande quantidade de acessos de forma a derrubá-los, cada vez mais constitui uma verdadeira ameaça para empresas dos mais diversos portes. E, segundo dados da Arbor Networks, uma empresa de segurança especializada no controle e desvio de golpes DDoS, o primeiro semestre de 2014 já registra mais do que o dobro dos golpes DDoS realizados em todo o ano de 2013.

O levantamento levou em conta apenas os ataques que utilizam um volume de dados de 20 GB/segundo ou mais, mais do que suficientes para derrubar estruturas de pequeno e médio portes. Chama atenção, porém, um crescimento assustador no número de golpes com mais de 100 GB/s, que representam uma ameaça crescente para companhias de todos os tamanhos e são capazes de derrubar até mesmo os sistemas mais arrojados.

As estatísticas foram obtidas a partir da análise de mais de 90 TB de dados trafegados pelas redes de empresas e provedores de serviço ao redor do mundo. As informações são compartilhadas de forma anônima e sem nenhuma indicação de conteúdo como forma de compor o Digital Attack Map, que em parceria com o Google, traça um panorama das ameaças digitais encontradas na rede ao longo do tempo.

2014 tem ainda mais recordes para chamar de seus. Foi o ano em que foi realizado o maior ataque DDoS volumétrico já registrado, no segundo trimestre do ano, com cerca de 154 GB transmitidos por segundo para um servidor não identificado na Espanha que, claro, não resistiu à pressão.

Apesar disso, a coisa parece ter acalmado um pouco entre os meses de abril e junho, com 47% menos ataques DDoS em relação ao primeiro trimestre do ano. Ainda assim, o dado está longe de oferecer tranquilidade já que, de acordo com a Arbor Networks, aumentaram o número de golpes de reflexão NTP, um tipo altamente devastador que se torna cada vez mais comum entre os criminosos.

Múltiplas camadas de proteção e um cuidado apurado com as redes internas são a alternativa das empresas para, pelo menos, tentarem resistir a tais ataques. Como a ideia do DDoS é interromper o acesso por tempo indeterminado, golpes do tipo são capazes de causar danos financeiros para as companhias afetadas, apesar de não resultarem no vazamento de informações ou em brechas de segurança.