1,64 milhão de novos malwares surgiram no último ano

Por Redação | 09 de Outubro de 2017 às 12h54
photo_camera iStock

Já era sabido que o potencial de ataque dos hackers e criminosos era mais alto do que a capacidade das companhias em responder às ameaças. Mas, agora, isso tudo está exposto em números. De acordo com dados da Security4IT, 1,64 milhão de novos malwares surgiram no último ano.

A análise foi feita ao longo dos últimos 12 meses e, na descoberta das pragas, nenhuma delas era conhecida pelas soluções tradicionais de proteção, o que significa que elas passariam incólumes em caso de infecção. Esse total também representa 4% do total de arquivos analisados pelos especialistas em segurança da empresa durante o período, mostrando que a ameaça pode estar em qualquer lugar.

Para a Security4IT, trata-se um problema, principalmente, com a proliferação de dispositivos conectados. A Internet das Coisas, juntamente com o aumento cada vez maior da presença de políticas de BYOD nas empresas – pelas quais os colaboradores utilizam seus próprios dispositivos, como notebooks e celulares, para trabalhar – transforma a situação em um ponto de atenção para administradores de TI.

Afinal de contas, basta um dispositivo infectado da maneira “correta” para que um atacante possa ter acesso a toda a rede de uma companhia, realizando crimes que vão desde a transformação de máquinas em agentes zumbis até o roubo de dados confidenciais. Quando se fala em grandes empresas, o risco é ainda maior, pois entra em jogo a possibilidade de golpes direcionados em prol da espionagem industrial ou interrupção dos serviços.

Para a Security4IT, os dados mostram, mais do que nunca, a necessidade de existência de uma política robusta de análise de dados e dispositivos conectados às redes, principalmente no que toca o compartilhamento de arquivos e o recebimento de informações de fora. Além de soluções de segurança atualizadas e em pleno funcionamento, os especialistas apontam para a necessidade de planos de ação relacionados a problemas desse tipo, de forma a mitigar danos caso eles sejam identificados.

Fonte: Security4IT

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.