10 coisas a considerar antes de implementar uma política de BYOD na sua empresa

Por Redação | 01 de Agosto de 2013 às 12h34

O Bring Your Own Device (BYOD) é uma tendência cada vez mais presente nos escritórios de todo o mundo, principalmente como um meio de economizar dinheiro. Porém, apesar da economia potencialmente grande oferecida pelo BYOD, é preciso adotar medidas importantes na hora de implementar uma estratégia para o uso de dispositivos pessoais em ambientes corporativos.

Um estudo recente da empresa norte-americana Acronis apontou que 47% das empresas não possuem uma política de BYOD atualmente, mas que pretendem elaborar uma em breve. Outro dado muito alarmante foi divulgado por um relatório da ITWorld, onde 80% dos entrevistados disseram que suas empresas não têm educado seus funcionários sobre os riscos da adoção do BYOD.

Considerando todos esses fatores, Jim Liddle, da empresa de serviços na nuvem "Storage Made Easy", deu 10 dicas de coisas que você deve considerar ao implementar uma política de BYOD em sua empresa. Confira.

1. Faça uma análise do custo benefício dos atuais dispositivos de propriedade da empresa. Lembre-se de incluir o seguro e os acessórios. Veja o que realmente pode economizar.

2. BYOD não significa que você seja obrigado a abraçar todos os dispositivos. Defina algumas diretrizes. Talvez você queira limitar sua política de BYOD ao uso de dispositivos iOS e Android, ou iOS e BlackBerry, ou talvez você queira aceitar todas as plataformas. Abraçar o BYOD não significa que reina a anarquia, defina uma política.

3. Como parte de sua mudança para uma política de Gerenciamento de Dispositivos Móveis (MDM) / BYOD eficaz, entenda como seus funcionários preferem trabalhar. A maior parte do trabalho é realizada remotamente? Possui agentes de campo? Representantes de venda?

4. As fontes de dados precisam ser unificadas para que sejam acessíveis a partir de um aplicativo instalado em um dispositivo móvel. O serviço que você escolher precisa suportar a exibição de dados que talvez nem sejam suportados hoje pelos dispositivos.

5. Adote uma política de compartilhamento de arquivos segura. Você não quer que funcionários que usem seus próprios dispositivos e compartilhamento de dados não possam ser auditados. Qualquer compartilhamento de dados em rede corporativa precisa manter os logs de auditoria de tudo o que for compartilhado. As proteções por senha e tempo limite de expiração em links são boas ideias.

6. Certifique-se de que você tem o controle de acesso dos usuários a dados corporativos. Você pode não possuir o dispositivo do usuário, mas ainda assim é preciso ter algumas medidas de proteção sobre a forma como os usuários obtêm acesso a aplicativos e dados corporativos.

7. Não se acanhe em ter uma política rigorosa, principalmente no que diz respeito à segurança. Exija a instalação de aplicativos antivírus/malware, e/ou promova a criação de identidades separadas para acesso pessoal e corporativo ao dispositivo.

8. Decida se a limpeza de dispositivos fará parte de sua política. Essa é uma das áreas mais controversas do BYOD. Se você decidir executá-la, terá que incluí-la como parte da sua política e assegurar que os usuários entendam suas consequências. Note que todos os dispositivos permitem o apagamento remoto.

9. Crie termos em sua política que tratem do uso de aplicativos não autorizados junto a dados corporativos. O DropBox, por exemplo, já se "infiltrou" nas empresas pela porta dos fundos e está realmente sendo utilizado dentro das corporações, mesmo sem a sanção oficial da equipe de TI. Você precisa ser capaz de auditar um serviço de armazenamento na nuvem.

10. Política é a chave. Os membros da equipe precisam entender e se inscrever para que a política de BYOD seja introduzida. Ela precisa ser fácil de entender e oferecer simples acesso aos recursos que os funcionários precisam. A implementação de uma política de BYOD pode parecer atraente, mas requer muita reflexão e planejamento para que seja bem sucedida.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!