Vacina da Janssen: Brasil deve receber 1,5 mi de doses amanhã (22), diz Saúde

Vacina da Janssen: Brasil deve receber 1,5 mi de doses amanhã (22), diz Saúde

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 21 de Junho de 2021 às 16h25
rawf8/envato

No combate ao coronavírus SRS-CoV-2, o Ministério da Saúde trabalha para acelerar a vacinação dos brasileiros. Nesta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen — braço farmacêutico da Johnson & Johnson —  devem desembarcar no país na terça-feira (22). O prazo e a quantidade de doses da remessa foram, anteriormente, recalculados.

Durante audiência pública na Comissão Temporária da COVID-19 no Senado, o ministro Queiroga explicou que essa carga faz parte da antecipação de doses que vinha sendo negociada com a farmacêutica Janssen. Na semana passada, a pasta divulgou que receberia um carregamento com 3 milhões de doses, mas o envio terminou adiado. Oficialmente, o contrato entre a Saúde e a empresa, de 38 milhões de doses, prevê o envio até o final deste ano. 

Ministério da Saúde anuncia que o Brasil receberá 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato)

Envio das primeiras doses da Janssen

“Em relação à vacina da Janssen, essas vacinas estavam previstas no nosso calendário para o último trimestre do ano. Eram 38 milhões de doses. Inicialmente, negociamos com a Janssen e eles iriam nos antecipar, na semana passada, três milhões de doses. Lamentavelmente, não foi possível a chegada dessas três milhões de doses”, afirmou Queiroga.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Mas eu já antecipo em primeira mão que, amanhã, deve chegar no aeroporto de Viracopos [na cidade de Campinas, interior de São Paulo], 1,5 milhão de doses da vacina Janssen. São vacinas úteis, como as outras, mas essa é uma dose única que permite uma imunização mais rápida”, completou o ministro. 

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, a pasta também negocia a chegada de novos lotes antecipados. A principal vantagem da fórmula é que é aplicada em dose única, ou seja, os imunizados não precisam receber o reforço para obterem proteção a completa contra a COVID-19.

Como as doses já anunciadas estão próximas ao vencimento, a Janssen solicitou tanto para a Food and Drug Administration (FDA), nos EUA, quanto para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no Brasil, a prorrogação da validade. Ambas as agências reguladoras autorizaram o procedimento.

Fonte: G1  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.