Técnica CRISPR será usada em humanos pela 1ª vez para tratamento de cegueira

Por Felipe Ribeiro | 29 de Julho de 2019 às 19h50

Um estudo que está sendo realizado nos Estados Unidos pelas empresas Editas Medicine e Allergan pode trazer uma esperança renovada na busca pela cura da cegueira. De acordo com a agência Associated Press, uma edição genética usando a técnica CRISPR será feita em seres humanos pela primeira vez com o intuito de tratar uma doença ocular hereditária que causa a perda da visão.

Pessoas com essa condição têm uma mutação em um gene que afeta a função da retina, as células sensíveis à luz na parte de trás do olho que são essenciais para a visão normal. A condição é uma forma de amaurose congênita de Leber, uma das causas mais comuns de cegueira infantil e que afeta cerca de 2 a 3 recém-nascidos em cada 100 mil, de acordo com o National Institutes of Health, também nos Estados Unidos.

O tratamento irá corrigir a mutação usando a ferramenta que permite aos pesquisadores editar precisamente o DNA em um ponto específico, conforme informou a agência. Os pesquisadores usarão uma injeção para fornecer o tratamento diretamente às células sensíveis à luz, de acordo com uma declaração da Editas Medicine.

A experiência irá contar com um total de 18 pacientes voluntários, tanto crianças (com idades entre 3 e acima) como adultos. O novo estudo é diferente da controversa pesquisa de um cientista chinês que usou a CRISPR para editar os genomas de bebês gêmeos no ano passado. Nesse caso, o profissional modificou o DNA dos embriões e essas alterações genéticas poderiam ser transmitidas para a próxima geração. No novo estudo, as edições de DNA feitas em crianças e adultos não podem ser passadas para seus filhos.

Fonte: Fox News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.