OMS pede adiamento da terceira dose contra COVID-19

OMS pede adiamento da terceira dose contra COVID-19

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 23 de Agosto de 2021 às 18h15
twenty20photos/envato

Em meio à vacinação contra a COVID-19, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, fez um pedido aos países: adiar o reforço (ou seja, a terceira dose) das vacinas. A prioridade deve ser o aumento das taxas de vacinação em países onde apenas 1% ou 2% da população foi imunizada.

Segundo o diretor, vacinas destinadas para terceira dose devem ser doadas a países onde as pessoas não receberam sua primeira ou segunda dose. A exceção envolve aqueles cujo sistema imunológico está comprometido, que devem receber uma dose de reforço. Mas esse público representa apenas uma pequena porcentagem da população.

A OMS também chegou a afirmar que os dados atuais não indicam que as vacinas de reforço contra a COVID-19 são necessárias e que as pessoas mais vulneráveis em todo o mundo devem ser totalmente vacinadas antes que os países de alta renda implementem uma terceira dose.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: FabrikaPhoto/Envato)

Por que já pensam na terceira dose?

Estudos israelenses já ressaltaram que uma terceira dose da vacina da Pfizer melhorou significativamente a proteção contra infecções e doenças graves entre pessoas com 60 anos ou mais em comparação com aqueles que receberam duas doses.

Israel começou a administrar terceiras doses para maiores de 60 anos em 30 de julho. As doses de reforço são administradas apenas para aqueles que receberam a segunda injeção há pelo menos cinco meses.

Fonte: O Globo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.