Jogo de celular é transportado para a realidade virtual para detectar Alzheimer

Por Redação | 29 de Agosto de 2017 às 16h23

Como parte de um dos maiores experimentos no campo da demência já realizados no mundo, uma equipe de cientistas criou o game Sea Hero Quest VR, em que o usuário se torna o capitão de um barco no ambiente da realidade virtual. O objetivo do jogo é testar o paciente a fim de identificar um dos primeiros sinais da demência, que é a perda da habilidade de navegar.

O jogo, originalmente criado para smartphones, já registrou 3 milhões de jogadores, mas sua conversão para o ambiente da realidade virtual foi ideia dos cientistas, que visam detectar o Mal de Alzheimer em seus primeiros estágios. No game, o desafio é o jogador usar seu senso de direção para determinar um curso, que conta com ilhas desertas e oceanos congelados, além de rios e lagos.

Enquanto o paciente joga, dados anônimos são coletados para que neurocientistas os analisem. Segundo Max Scott-Slade, que trabalha na equipe que desenvolveu o game em realidade virtual junto com os pesquisadores, a equipe já conseguiu capturar 15 vezes mais dados a partir da versão em realidade virtual do jogo, somente usando a versão mobile até o momento.

Esses dados revelaram, ainda, que homens tendem a ter um senso de direção ligeiramente mais apurado do que mulheres, e que as nações nórdicas apresentam uma performance muito superior à do restante do mundo no que diz respeito ao senso de direção. Segundo o professor Christopher Hoelscher, chefe da divisão de ciência cognitiva do ETH Zurich, declarou que “nenhum projeto nunca conseguiu coletar dados de 3 milhões de pessoas com interações reais com essa profundidade”, e que isso permite à equipe realizar um grande número de análises que nunca seria possível com os estudos clássicos.

Somente no Reino Unido, cerca de 850 mil pessoas já convivem com doenças relacionadas à demência, e a previsão é de que esse número alcance os 2 milhões até o ano de 2051. E mais: a maioria dessas pessoas convive com os sinais da doença por aproximadamente dez anos antes que o problema fique explícito. Por conta disso, programas como este jogo são essenciais para que os cientistas da atualidade criem meios acessíveis de a população detectar os primeiros sintomas da doença, buscando tratamento o quanto antes.

Para o Dr. David Reynolds, do centro de pesquisas Alzheimer's Research UK, “o que realmente queremos fazer é conseguir identificar pessoas com demência entre 10 e 15 anos antes do que fazemos no momento”, e, portanto, um jogo como o Sea Hero Quest VR se torna tão importante nesta jornada.

Fonte: BBC