Nem com variante Delta: isolamento social em SP é o mesmo de antes da quarentena

Nem com variante Delta: isolamento social em SP é o mesmo de antes da quarentena

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 10 de Agosto de 2021 às 18h10
MirkoVitali/Envato Elements

Com a flexibilização das medidas impostas contra a transmissão da COVID-19, a adesão ao isolamento social caiu para o mesmo nível de antes do início oficial da quarentena em todo o estado de São Paulo. Na sexta-feira (6), o índice chegou a 38%. Este é o mesmo porcentual registrado no dia 17 de março do ano passado.

Especificamente, na cidade de São Paulo, o número foi ainda mais baixo e chegou a 36% na última sexta. No dia 17 de março do ano passado, o valor da adesão ao isolamento social estava calculado em 38%. A baixa quantidade de pessoas em isolamento pode ser explicada pelas flexibilizações anunciadas pelo governo local, mas ainda é preciso investir na vacinação da população e se atentar para a circulação comunitária da variante Delta (B.1.671.2) do coronavírus, identificada primeiro na Índia.

Isolamento social registra o mesmo valor de antes da quarentena em São Paulo (Imagem: Reprodução/Clirimishmakej/Envato Elements)

Já é seguro voltar a circular?

No momento, pouco mais de 25% da população do estado de São Paulo está totalmente vacinada contra a COVID-19, ou seja, já recebeu as duas doses de um imunizante ou a vacina de dose única. Os números são positivos, mas é preciso ampliar a porcentagem. O estudo do Instituto Butantan, em Serrana (SP), apontou para a necessidade de se imunizar pelo menos 75% da população para cortar a transmissão do coronavírus.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Outro fator é a circulação da variante Delta no estado, principalmente na capital. No dia 6 de junho, a prefeitura de São Paulo anunciou o primeiro caso oficial da variante. Passado menos de um mês, um relatório epidemiológico divulgado pelo Instituto Adolfo Lutz aponta que 23,5% dos novos casos da COVID-19 na Grande São Paulo foram causados pela variante mais transmissível do coronavírus.

No entanto, as autoridades de saúde do estado apostam na queda nos números de óbitos e de novas internações para adotar a retomada da circulação de pessoas. Hoje, os comércios podem operar das 6h à meia-noite, com até 80% de capacidade. Por enquanto, apenas shows com público, torcidas e pistas de dança ainda seguem proibidos. A previsão é de que essas atividades possam ser retomadas em novembro.

Retrospectiva da quarentena da COVID-19 em SP

No estado, a quarentena foi anunciada no dia 21 de março de 2020 e passou a valer a partir do dia 24 daquele mês, inicialmente por 15 dias. Na época, comércios foram completamente fechados, exceto os serviços essenciais, como alimentação, abastecimento, saúde, bancos, limpeza e segurança.

Para controlar a taxa de isolamento, o estado desenvolveu um mecanismo para acompanhar essa adesão (ou não). Responsável pelos índices, o Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo notifica esses valores, em parceria com as operadoras de telefonia. Isso porque estas empresas fornecem informações agregadas e anônimas sobre deslocamento nos municípios paulistas para o estado.

Fonte: Agora  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.