Inteligência artificial pode ser usada para prevenir doenças renais

Por Felipe Demartini | 02 de Agosto de 2019 às 22h10

Uma pesquisa conduzida pela DeepMind, subsidiária de inteligência artificial da Alphabet, concluiu que a tecnologia pode ser usada para prevenir doenças renais em pacientes graves. O estudo mostrou que a IA é capaz de prever danos nos rins ou uma falência total dos órgãos até dois dias antes disso acontecer, ajudando no tratamento e também evitando a necessidade de diálise e outros métodos invasivos.

O estudo contou com o apoio de diferentes colaboradores, entre centros médicos, organizações de apoio a veteranos de guerra e unidades de pesquisa, na composição de um conjunto de dados de mais de 70 mil pacientes adultos, que autorizaram a utilização de suas informações para pesquisas. A partir dos registros anônimos, o sistema foi capaz de detectar 56% dos problemas graves nos rins antes de acontecerem, com 90% dos pacientes indicados se livrando da possibilidade de diálise a partir de outros tratamentos.

A ideia, afirmou Dominic King, coautor do estudo e diretor de saúde da DeepMind, é garantir que pacientes já gravemente doentes não fiquem ainda piores devido a uma deterioração de seus órgãos vitais. Mais do que isso, ao evitar falhas renais, os médicos também podem garantir uma melhor qualidade de vida após eles serem curados. O estudo indica que os modelos de deep learning usados funcionam, mas ainda precisam de aprimoramento para que entrem em funcionamento, algo que deve acontecer em alguns anos.

Além disso, existem algumas brechas importantes na pesquisa, como o fato de 94% dos conjuntos de dados analisados pertencerem a pessoas do gênero masculino, com a pesquisa não podendo precisar se os mesmos métodos também funcionarão para as mulheres. Por outro lado, a publicação foi elogiada por especialistas, que apontaram uma dificuldade, em alguns casos, de se prever doenças renais, um fator no qual a inteligência artificial ajudaria e muito.

Um sistema semelhante já é usado pela DeepMind em outra linha de pesquisa ligada às falhas nos rins. Por meio de um aplicativo chamado Streams, que é usado em caráter de testes em alguns hospitais governamentais do Reino Unido, médicos podem ser notificados em seus smartphones quando os exames de sangue de seus pacientes indicarem a existência de problemas renais. Novamente, a IA entra em jogo aqui, como uma forma de alertar sobre eventuais questões que ainda possam estar se desenhando, a tempo de serem evitadas.

Fonte: CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.