IA consegue identificar Alzheimer 10 anos antes do aparecimento de sintomas

Por Redação | 19 de Setembro de 2017 às 12h02

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Bari, na Itália, criou um algoritmo que consegue detectar pequenas mudanças na estrutura cerebral humana que são causadas pela ação do Alzheimer. A inteligência artificial precisou ser treinada e, para isso, analisou dados de 38 pacientes e outras 29 pessoas saudáveis.

Depois do treino, a IA analisou o cérebro de 148 pessoas, sendo que, deste total, 52 eram saudáveis e 48 já tinham o Alzheimer detectado, enquanto as outras 48 tinham MCI, uma doença que leva o paciente a desenvolver o Alzheimer entre 2,5 e 9 anos depois. A IA conseguiu identificar quais daqueles pacientes tinham um cérebro realmente saudável e quais estavam com a doença. A precisão foi de 86%. Além disso, o sistema diferenciou com 84% de precisão os cérebros saudáveis daqueles que tinham MCI.

Com esta tecnologia, é possível identificar o Alzheimer com até 10 anos de antecedência do surgimento dos primeiros sintomas, permitindo um tratamento adiantado para amenizar e postergar os sintomas.

Fonte: Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.