Getty vai banir imagens alteradas para deixar modelos mais magras

Por Redação | 28 de Setembro de 2017 às 14h32

Uma mudança das leis na França gerou uma alteração global no Getty Images, um dos maiores bancos de imagens do mundo. A partir do dia 1º de outubro, em conformidade com as novas normas do país europeu, a empresa não vai mais aceitar fotografias que tenham sido alteradas digitalmente, de forma a tornar as modelos mais magras ou altas.

Estes são apenas os dois principais exemplos citados pelo repositório para exemplificar uma indústria, principalmente comercial, em que imagens são retocadas a ponto de mudar completamente as características físicas dos retratados. Tais produções, agora, não serão mais aceitas como parte do banco de dados, com os autores podendo até ser banidos caso tentem hospedar tais trabalhos repetidas vezes.

Retoques, entretanto, continuam valendo. Alterações na cor do cabelo e correções em aspectos como sardas, pintas, marcas no corpo ou formato do nariz são aceitáveis, uma vez que as regras se aplicam, de forma mais específica, ao restante do corpo. Entretanto, aqui, mais uma vez vale a máxima – caso existem mudanças significativas em relação à realidade, as imagens não serão aceitas pela plataforma.

As alterações valem tanto para o próprio Getty Images como para o iStock, outro serviço que é de propriedade da mesma companhia. As fotos publicadas antes do prazo firmado continuarão disponíveis no serviço, mas dali em diante, as novas normas governamentais terão que ser respeitadas.

A nova regulamentação, que entra em vigor em outubro, é focada quase que diretamente na indústria da moda e entretenimento da França. Por meio das novas regras, agências e marcas serão obrigadas a contratar modelos com corpos tamanho 34 ou superior, enquanto todos os profissionais do setor deverão apresentar comprovantes médicos periódicos sobre seu índice de massa corporal, que deve ser mantido em um patamar saudável.

Para as revistas e meios de mídia, valem regras semelhantes relacionadas aos retoques feitos nas imagens. Trata-se de uma medida do governo francês – também já adotada no estado americano da Califórnia – para acabar com a cultura dos corpos perfeitos e sua influência nociva, principalmente, junto à juventude e os trabalhadores do setor.

Fonte: Getty Images

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.