Estudo relaciona vício de jovens em smartphones a transtornos de depressão

Por Redação | 04 de Dezembro de 2017 às 09h19
photo_camera público

Uma equipe de pesquisadores sul-coreanos, vinculada à Universidade de Seul, fez testes com 19 jovens diagnosticados como viciados em internet. Utilizando equipamentos de MRS (Modified Rankin Scale), uma espécie de tecnologia semelhante à ressonância magnética, eles averiguaram a composição química das sinapses que ocorrem no cérebro.

A conclusão dos testes é que, comparado ao grupo controle de indivíduos sem vício, o grupo de indivíduos que tinham vício em internet e smartphones apresentavam em seus cérebros concentrações mais altas de dois neurotransmissores: ácido gama-aminobútrico (GABA), envolvido em funções de desacelerar o funcionamento neuronal; e Glutamina, que tem o efeito de acelerar as funções cerebrais. O excesso dos dois neurotransmissores foi encontrado nas regiões da cíngula.

O desequilíbrio das funções relacionadas ao ciclo de glutamina e GABA pode criar sintomatologias de depressão, ansiedade, alterações do ciclo de sono e impulsividade, transtornos que o estudo concluiu serem mais frequentes no grupo de indivíduos viciados em internet que no grupo controle.

Fonte: Fast Company

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.