Brasil registra segundo caso do novo coronavírus; EUA tem primeira morte

Por Felipe Demartini | 02 de Março de 2020 às 14h10

Um homem de 32 anos, da cidade de São Paulo (SP), foi confirmado neste final de semana como o segundo caso confirmado do novo coronavírus no Brasil. Ele chegou de Milão, na Itália, em 27 de fevereiro e deu entrada no Hospital Albert Einstein com os sintomas de COVID-19, a doença causada pelo patógeno.

De acordo com as informações do Ministério da Saúde, o paciente usou máscaras de proteção durante o voo de volta ao nosso país. Ele foi ao hospital com febre, tosse e dores na garganta, cabeça e músculos; seu quadro foi considerado leve e estável, o que fez com que ele recebesse alta para permanecer em isolamento domiciliar.

O homem é funcionário da XP Investimentos, empresa que fica na zona sul da capital paulista, e chegou a ir trabalhar no próprio dia 27, quando chegou ao brasil. A empresa enviou e-mail a todos os seus colaboradores neste domingo (1) anunciando palestras com profissionais de saúde e a adoção de medidas de higiene, como a distribuição de kits e álcool gel a todos os funcionários.

Os colaboradores também foram liberados para trabalharem de casa caso não se sintam confortáveis com a ida ao escritório. Além disso, a XP informou estar monitorando seus funcionários, principalmente os que tiveram contato próximo com o paciente contaminado, e que nenhum deles apresentou sintomas de COVID-19 até o momento.

A esposa do homem de 32 anos foi testada e não apresentou sintomas, enquanto o Ministério da Saúde continua acompanhando contatos próximos e também passageiros que estavam nas proximidades dele durante o voo de volta da Itália. O paciente também será monitorado até que deixe de apresentar sintomas.

Contaminado pelo coronavírus chegou a ir trabalhar, na XP Investimentos, no dia em que chegou ao Brasil. Empresa dispensou colaboradores, anunciou palestras e adotou medidas de higiene (Imagem: Divulgação/XP Investimentos)

Ainda, o governo afirmou que a descoberta do novo caso não muda o status de alerta das autoridades nacionais em relação ao SARS-CoV-2, nome oficial dado pela Organização Mundial de Saúde ao novo coronavírus. O Ministério da Saúde voltou a afirmar que não há “circulação sustentada” no território brasileiro, com os dois casos confirmados sendo oriundos de viagens internacionais, enquanto os suspeitos são considerados como tal devido a contatos próximos com os pacientes.

Ao todo, o Brasil conta com 207 casos suspeitos do novo coronavírus, sendo 91 apenas no estado de São Paulo. O número vem crescendo na medida em que novos casos ou elementos de suspeita vão sendo descobertos, uma lógica que também vale internacionalmente. De acordo com os dados mais recentes da OMS, são 85,4 mil casos do SARS-CoV-2 em todo o mundo, espalhados por 54 países e com 2,9 mil mortes confirmadas.

Primeira vítima fatal nos EUA

O presidente americano Donald Trump intensificou o controle sobre viagens internacionais a países com epidemia, mas pediu que população não entrasse em pânico (Imagem: Reprodução/CNN)

Também neste final de semana, o governo dos Estados Unidos confirmou o primeiro óbito relacionado ao novo coronavírus. Um paciente na faixa dos 50 anos de idade, com problemas de saúde pré-existente, morreu na cidade de King County, no estado de Washington.

De acordo com as autoridades de saúde dos EUA, existem indícios de que o paciente contraiu o COVID-19 por circulação sustentada, uma vez que ele não teve contato próximo com suspeitos ou infectados vindos de outras regiões do mundo. O presidente americano Donald Trump pediu calma à população e disse que todas as medidas sanitárias estão sendo tomadas, não havendo motivo para pânico.

Entre as precauções tomadas, os Estados Unidos estão impondo restrições de viagens ao Irã e recomenda que os americanos não viajem a países como Itália e Coreia do Sul, onde estão grandes focos da doença no momento. Além disso, checagens adicionais e monitoramentos serão realizados junto aos viajantes que estiveram recentemente nestas regiões.

Os números mais recentes do governo indicam 71 casos confirmados do novo coronavírus nos Estados Unidos. Apesar de a morte em Washington ter sido a primeira, se trata do segundo americano a falecer por conta do COVID-19 — um homem de 60 anos teve o óbito confirmado no início de fevereiro em Wuhan, na China. Ele também tinha condições de saúde pré-existentes e morava na cidade, vindo a falecer em um hospital da província.

Fonte: O Globo, UOL Economia, CNN Health    

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.