As 10 notícias de saúde que mais bombaram em 2021

As 10 notícias de saúde que mais bombaram em 2021

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 31 de Dezembro de 2021 às 09h00
twenty20photos/Envato

A área da saúde está submersa em um mar de constantes descobertas. Dia após dia, surgem novas doenças, e por sua vez novos tratamentos e pesquisas. Além disso, quando você pensa que os cientistas já conhecem o corpo humano em sua plenitude, casos raros e até mesmo inéditos surgem para despertar uma série de questionamentos. Confira as dez notícias que mais bombaram em 2021!

10. Tratamento faz dentes nascerem de novo

Cientistas da Universidade de Kyoto e da Universidade de Fukui (Japão) criaram um tratamento para fazer com que os dentes que já caíram voltem a crescer. O tratamento envolve anticorpos monoclonais e estimula o organismo a desenvolver novos dentes. No entanto, os pesquisadores têm um longo caminho a seguir: como os genes que influenciam o crescimento dos dentes impactam o desenvolvimento de todo o corpo, alguns testes realizados com roedores causaram defeitos congênitos.

9. "Língua de covid"

Em 28 de janeiro, um estudo espanhol publicado na revista British Journal of Dermatology apontou um sinal da covid-19 anunciado como “língua de covid”. Para entender os eventuais sintomas da COVID-19, a pesquisa acompanhou 666 pacientes, atendidos entre os dias 10 e 25 de abril de 2020. O artigo apontou que mais de 25% dos voluntários internados apresentavam alguma alteração na mucosa oral.

8. Medicamento pode ajudar a curar covid em cinco dias

(Imagem: twenty20photos/Envato)

No dia 18 de fevereiro, um hospital de Israel apontou um possível tratamento para casos moderados e graves de covid-19: uma fórmula inalável chamada EXO-CD24. O medicamento foi testado em 30 pacientes com quadros moderados e graves da covid-19, e auxiliou na recuperação de todos eles, que se recuperaram em um intervalo de três a cinco dias, segundo os pesquisadores. Na prática, a fórmula combate a tempestade de citocinas, que ocorre quando o organismo gera uma quantidade exagerada de defesas contra o vírus, agravando o quadro.

7. Remédio promissor para tratamento de covid-19

Ainda em fevereiro, cientistas da Universidade da Carolina do Norte apresentaram resultados iniciais dos testes de um medicamento antiviral chamado EIDD-2801 — conhecido também como Molnupiravir — no tratamento de covid-19. O Molnupiravir atua no organismo diretamente no RNA do SARS-CoV-2, evitando que ele acabe se replicando nas células e agravando a reação. Na ocasião, o estudo mostrou que o medicamento é seguro. Para determinar isso, os pesquisadores transplantaram células de um pulmão humano para camundongos.

6. O bebê com três pênis

No início de abril, um estudo publicado na revista científica International Journal of Surgery Case Reports revelou o nascimento do primeiro bebê de três pênis da história, isto é, o primeiro caso conhecido de trifalia. Nascido no Iraque, o bebê foi levado ao hospital pouco depois de completar três meses, por conta de um inchaço no saco escrotal e protuberâncias parecidas com pequenos pênis.

O que causou essa raríssima trifalia foi a retenção de líquido ao redor do testículo (hidrocele) e dois pênis extras: um na raiz do pênis original e outro abaixo do saco escrotal. Segundo o artigo, a cirurgia para a remoção desses dois pênis foi um sucesso e não houve nenhum efeito adverso, mesmo após um ano de acompanhamento.

5. Cérebro indica sinais de Alzheimer

Uma pesquisa britânica publicada em 7 de outubro sugeriu que o cérebro pode indicar diferenças estruturais que podem ser consideradas como sinais do Alzheimer muito antes da realização de um diagnóstico. Esse estudo foi construído a partir de dados genéticos de 32.790 adultos saudáveis, e com base nas descobertas, os pesquisadores agora buscam uma forma de criar um sistema que permita o diagnóstico mais precoce da doença.

4. Bebê nasce com cauda de 12 cm

Um estudo publicado em março deste ano chamou a atenção ao trazer à tona o caso raríssimo de um bebê brasileiro que nasceu com uma cauda de 12 centímetros de comprimento. Depois de uma minuciosa análise, os especialistas do Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS) viram que a cauda não prejudicava a saúde do bebê e poderia ser removida cirurgicamente.

Os especialistas concluem que se trata de uma alteração na regressão da cauda embrionária. Todo embrião tem essa cauda, mas ela se retrai conforme o bebê se desenvolve, o que não ocorreu com esse bebê de Fortaleza (CE).

3. Sintomas associados à variante Ômicron

(Imagem: HwangMangjoo/Rawpixel)

No início deste mês de dezembro, médicos da África do Sul relataram que a variante Ômicron (B.1.1.529) causa sintomas leves e diferentes do que é considerado comum na covid-19. A lista dos sintomas associados com a Ômicron foi a seguinte:

  • Tosse seca, dependendo do caso;
  • Febre;
  • Suor noturno;
  • Dores musculares;
  • Cansaço;
  • Garganta "arranhando";
  • Pulsação alta, dependendo do caso.

No entanto, a maioria dos relatos veio de pacientes com 20 a 30 anos, e é uma faixa etária que tende a apresentar quadros mais leves da covid-19, então os especialistas ainda estão de olho.

2. Cientistas inserem gene humano em batatas

Em agosto, pesquisadores da Universidade de Chicago (EUA) inseriram um gene humano relacionado à obesidade em uma safra de batatas, aumentando seu tamanho em 50%. A ideia por trás do estudo é ajudar a combater a fome global sem aumentar o impacto climático. De qualquer forma, ainda há muito trabalho pela frente. O estudo acabou de começar, mas o fato de que os genes aumentaram as batatas em vez de destruí-las já é um bom sinal.

1. Doença misteriosa que atingiu o Canadá

Em abril, uma doença cerebral misteriosa atingiu mais de 40 pessoas no Canadá, causando mudanças de comportamento, dores inexplicáveis, distúrbios do sono e alucinações. Na época, os especialistas perceberam semelhanças com a rara doença de Creutzfeldt-Jakob (CJD), causada por príons (partículas de proteínas neurodegenerativas), mas os testes de laboratório deram negativo para a CJD, aumentando ainda mais o enigma, que paira até hoje. Os especialistas acreditam que seja uma nova doença.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.