App de reconhecimento facial ajuda futuras mães a encontrarem doadoras de óvulos

Por Carlos Dias Ferreira | 27 de Julho de 2018 às 17h31

Embora existam atualmente diversos procedimentos médicos destinados a ajudar casais inférteis a terem filhos, quando se trata de doações anônimas de óvulos, há uma questão recorrente: quão semelhante a criança será em relação aos seus pais? Particularmente, ela ao menos será fisicamente parecida com a mãe? Bem, no que depender de uma nova tecnologia de reconhecimento facial aplicada por uma clínica na Espanha, a semelhança será tão grande quanto possível.

Basicamente, o que a Ovobank oferece é um algoritmo de reconhecimento facial embalado na forma de um aplicativo para celular, o Ovomatch. Para encontrar a doadora mais parecida, basta tirar uma selfie; o programa então se encarrega de varrer o banco de dados da clínica atrás da pessoa com semelhança física mais acentuada.

Conforme explicou o médico e diretor geral das instituições de fertilização FIV Marbella e Ovobank, Enrique Criado Scholz, a doação de óvulos no país – e também em vários outros – ainda precisa ser feita de forma anônima, de maneira que o paciente não pode escolher quem será a doadora. “São os profissionais médicos que tomam a responsabilidade de encontrar uma doadora cujas características fenotípicas combinem com as da paciente”, explicou Scholz em entrevista ao site Digital Trends.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Mais de 100 pontos faciais analisados

Embora os médicos normalmente selecionem pessoas com porte físico e cores dos olhos e cabelos semelhantes, essa decisão permaneceu até hoje estritamente subjetiva. “[O nosso aplicativo] pede à paciente que tire uma selfie e então faz a leitura de mais de 100 pontos faciais, os quais serão comparados com os das doadoras previamente selecionadas com base nos dados fenotípicos”, disse o médico ao site.

Depois que o processo é concluído, o app envia automaticamente dois relatórios distintos. O primeiro vai para o centro de fertilização in vitro, que então dá início ao tratamento; o segundo é enviado à própria Ovobank, a fim de que a clínica comece a lidar com a papelada necessária para a doação. Ao final, os centros entram em contato, agendando o envio do óvulo.

Segundo Scholz, o procedimento já se encontra disponível internacionalmente – e o Ovomatch pode ser baixado em versões para iOS ou Android.

Fonte: Digital Trends

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.