Oculus Go traz realidade virtual a preço mais baixo e sem depender do smartphone

Por Felipe Demartini | 02 de Maio de 2018 às 10h10

A Oculus finalmente lançou o Go, sua alternativa menor e mais barata para os dispositivos de realidade virtual. Custando US$ 199 em sua versão mais básica, ou aproximadamente R$ 700 em uma conversão direta, o dispositivo é menor, mais leve e não depende de computadores ou smartphones para funcionar, tornando-se um aparelho acessível para quem não possui um celular compatível com os óculos disponíveis no mercado atual ou deseja um dispositivo mais portátil que o padrão.

Os primeiros óculos VR independentes da marca prometem compatibilidade com jogos móveis e experiências, com mais de mil títulos para serem experimentados desde já. Todos os títulos do catálogo do Samsung Gear VR, por exemplo, funcionam com o Oculus Go, bem como o catálogo de aplicativos da própria fabricante e também a esmagadora maioria dos jogos móveis que usam a tecnologia de realidade virtual.

A versão de US$ 199 traz 32 GB de espaço de armazenamento interno; outra variante, com 64 GB de armazenamento, sai por US$ 249, aproximadamente R$ 870. Em ambos os casos, as especificações técnicas são as mesmas: tela WQHD com 2560 x 1440 pixels de resolução e densidade de 538 ppi, microfone integrado e sistema de áudio espacial. Um controle acompanha o produto, com superfície touch e gatilho para jogos, além de botões convencionais que podem servir tanto para games quanto para experiências de entretenimento.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Oculus também promete um sistema fácil de descoberta e sincronização de conteúdo. Por mais que o smartphone não seja o centro dos óculos em si, ele ainda é necessário para o upload de aplicativos, com o app da marca servindo como central de conteúdo. É nele que o usuário vai baixar soluções e atrações, que serão instaladas no aparelho por meio de conexão USB.

No restante, também estão presentes características comuns de óculos de realidade virtual, como o rastreamento dos movimentos da cabeça e os sensores de movimento no controle remoto. Entretanto, como estamos falando de um equipamento portátil, existem limitações nesse tipo de tecnologia, principalmente para usos mais avançados. O foco, aqui, é o entretenimento e o Go faz o necessário para garantir isso.

Tanto que, no lançamento, a Oculus conta com parcerias focadas justamente nesse campo. O novo dispositivo é lançado juntamente com uma nova versão do game République, a distopia futurista criada pela desenvolvedora Camouflaj e que tem gente de Metal Gear Solid trabalhando na produção e elenco, e um sistema de jogatina compartilhada entre usuários do Go e das versões normais dos dispositivos da Oculus, com Settlers of Catan sendo o principal expoente dessa novidade.

Com memória interna e controle próprio, Oculus Go não depende de celulares ou computadores para funcionar (Imagem: Divulgação/Oculus)

Outros recursos, como canais de televisão, filmes e sistemas de streaming também estão plenamente disponíveis, bem como criações exclusivas para o mundo da realidade virtual, como esse tipo de visão nos jogos da liga americana de baseball ou os shows de humor do Gotham Comedy Club. Além, é claro, do app do próprio Facebook, dono da Oculus, que oferece vídeo, chamadas ao vivo, feed de notícias e galerias de imagens, entre outros recursos.

Entretanto, a Oculus dá uma palhinha para o mundo corporativo e também vai incluir o Go em sua plataforma corporativa, que oferece soluções que integram a realidade virtual aos processos internos. É por meio dela, por exemplo, que montadoras de automóveis oferecem a potenciais clientes a chance de observar um carro por dentro e realizar alterações em tempo real ou que empresas de logística e engenharia oferecem treinamento para seus profissionais.

O Oculus Go está sendo lançado nesta semana em 23 países, mas o Brasil, infelizmente, não faz parte da lista – apesar de o site oficial do produto já estar traduzido para o nosso português. Além da página oficial da fabricante, o dispositivo também pode ser adquirido na Amazon, Best Buy, Newegg e outros varejistas online.

Fonte: Oculus

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.