Novo app com reconhecimento de voz pode dar uma segunda chance ao Google Glass

Por Wagner Wakka | 25 de Julho de 2018 às 19h35
Tudo sobre

Google

Um novo aplicativo pode dar sobrevida ao Google Glass, os óculos da Google que trabalham com realidade aumentada. Nesta terça-feira (24), uma empresa de Israel chamada Plataine apresentou um app para o dispositivo voltado para comando de voz. Em suma, ele basicamente transforma o Glass em uma inteligência artificial como a Siri ou Alexa.

Voltado para o chão de fábricas, a ideia é utilizar a capacidade de reconhecimento de imagem do dispositivo e alinhar com comandos de voz para deixar as mãos livres para a produção. Atualmente, o Plataine tem sido testado em linhas de montagem de empresas como GE, Boeing e Airbus.

O projeto tem apoio da própria Google e usa o sistema de nuvem para inteligência artificial voltada ao Glass. O app foi apresentado em uma conferência de negócios voltados para computação em nuvem sediada em São Francisco.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Segundo Jennifer Bennett, diretora técnica do Google Cloud, a vantagem da utilização dos óculos na linha de montagem está exatamente no fato de que outros dispositivos não combinam nem são geralmente disponíveis por conta de segurança. Contudo, óculos alinhados à proteção são bem vindos. “Muitos de vocês provavelmente se lembram do Google Glass na época do consumo pessoal — ele está de volta. O Glass se tornou uma tecnologia realmente interessante para empresas”, afirma.

O produto deixou de ser vendido no ano passado após uma série de problemas relacionados a hábitos de uso e preocupações com privacidade. Muitos foram os casos em que pessoas foram filmadas sem consentimento, já que o dispositivo poderia gravar por horas a visão do usuário com as câmeras no meio dos olhos.Para evitar este problema, a Google então lançou uma versão chamada Enterprise Edition. A ideia é que o produto passasse a ser focado somente em soluções de trabalho e empresas como as citadas.

A questão é que o ambiente de fábrica é livre de olhares estranhos ao dispositivo e já é munido de câmeras despreocupadas com a privacidade dos operários.

Um dos exemplos apresentados pela Plataine é o de que um funcionário pode, por comando de voz, pedir ajuda ao Glass para selecionar equipamentos em uma lista, ou mesmo mostrar um organograma do que precisa ser feito no dia. Junto disso, o Glass também ajuda a gerência no acompanhamento do trabalho dos funcionários da fábrica.

Para ter esta responsividade por voz, é preciso adicionar um plugin chamado Dialogflow, criado pela Google em parceria com uma empresa chamada Nagarro. Embora não seja tão preciso como suas principais concorrentes, o bot do Glass é capaz de identificar palavras-chaves importantes como as relacionadas aos dias (ontem, amanhã), bem como abrir listas e apresentar documentos.

O próximo passo da empresa, de acordo com Anat Karni, líder de produto da Plataine, é criar um sistema chamado AutoML. O ML, sigla para machine learning, será usado para reconhecimento automático de imagens, como leitura de código de barras e categorização de objetos.

Como a Google já tem um parâMetro bem desenvolvido para isso com o Google Lens, a equipe da Plataine não espera ter muito trabalho em desenvolver esta nova função.

Fonte: Wired

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.