Apple lança aplicativos de Realidade Aumentada e abre guerra contra o Google

Por Redação | 30 de Agosto de 2017 às 14h27

Desde que a Apple anunciou a ARKit em sua conferência anual de desenvolvedores, a comunidade de criação de aplicativos vem mostrando com entusiasmo o que já conseguiu fazer com a nova estrutura para aplicativos de Realidade Aumentada. A ARKit ainda não foi lançada oficialmente, mas já é possível ver demos de fidget, gatos flutuantes e carros elegantes configurados nos iPhones.

Mas não são só jogos e coisas divertidas que a Apple quer na tecnologia de RA. A Maçã está determinada a demonstrar outros usos de aplicativos RA, que serão lançados com o iOS 11 em setembro. Vários desenvolvedores se reuniram no campus da Apple em Cupertino, Califórnia, na terça-feira (29), para apresentar suas demos de apps de RA e discutir seus processos de desenvolvimento, incluindo ideias de grandes marcas como Ikea, The Food Network, AMC TV e Giphy.

Alguns desenvolvedores, como o Climax Studios, do Reino Unido, e a Touch Press, de Nova York, relataram que a criação de um app na ARKit é relativamente fácil, possível de ser feita em alguns casos em seis a oito semanas. Mas quase todos eles disseram o mesmo: é o público da Apple, os milhões de usuários de iPhone e iPad, que poderão dizer se os jogos em RA vão mudar o rumo da história dos games.

A guerra de RA

A reunião da Apple com os fabricantes de aplicativos em RA ocorreu exatamente no momento em que o Google está lançando a ARCore, uma nova plataforma para desenvolvedores de aplicativos de RA que poderá expandir o alcance da tecnologia da empresa de forma significativa. O que signica que, informalmente, Apple e Google iniciaram uma guerra pela tecnologia de Realidade Aumentada.

Uma das empresas que demonstrou sua utilização de app de RA da Apple foi a Ikea, grande fabricante de móveis. Ela criou o Ikea Place, aplicativo para iOS que deixa para trás ferramentas semelhantes vistos na plataforma Tango AR, do Google, por exemplo.

O usuário abre o app da Ikea no iPhone, use a câmera do telefone para medir o espaço ao seu redor e "coloca" um item de mobiliário da loja na sua frente. É possível caminhar até o item, ter uma idéia do seu tamanho e ver materiais e textura. Numa versão futura do aplicativo, o usuário poderá tocar em um sofá virtual para ver seu tamanho quando se expande para se tornar um sofá-cama.

Tela do aplicativo em RA da Ikea

Michael Valdsgaard, chefe de transformação digital da Ikea, disse que a empresa vem trabalhando em recursos 2D RA por quase cinco anos, mas que desenvolveu um novo aplicativo para ARKit por causa do alcance. "A Apple é quem chega a muitas pessoas", disse ele.

Simon Gardner, diretor-executivo da Climax Studios, vai na mesma linha. Seu novo jogo de RA para iOS, Arise, cria um enigma virtual no espaço real que só pode ser resolvido ao inclinar o iPhone ou iPad e orientar um personagem por meio desse quebra-cabeça. O Climax Studios há muito tempo está imerso nessa tecnologia. O estúdio já criou um jogo chamado Towers for Tango para a plataforma Google Tango AR e desenvolveu um aplicativo para o HoloLens, o computador holográfico da Microsoft, mas nenhum foi lançado ao público.

Google muda abordagem

A maior vantagem que a Apple possui com o ARKit é que os aplicativos dessa tecnologia serão executados em qualquer dispositivo que esteja equipado com um processador A9 e com o iOS 11. Isso significa que o iPhone 6s ou modelo posterior e qualquer iPad Pro poderão executar esses aplicativos de RA.

Portanto, a abordagem do Google para a RA teve que ser muito diferente, já que o Android aparece em dispositivos de todos os tamanhos e especificações. A empresa vem trabalhando em sua solução de RA, chamada Tango, desde 2013, e desenvolveu requisitos específicos de hardware e software que os fabricantes de telefones teriam que adotar para suportar a tecnologia. Como resultado, apenas dois modelos, o Lenovo Phab 2 Pro e o Asus ZenFone AR, tiveram o Tango embarcado.

Nesta quarta-feira (30), o Google anunciou o ARCore. Equivalente ao ARKit da Apple, é uma plataforma de RA integrada para fabricantes de aplicativos, disponível nos celulares  Google Pixel e Samsung Galaxy 8. A esperança da empresa é que a tecnologia seja executada em 100 milhões de telefones até o fim do ano.

Isso poderia expandir significativamente a comunidade para os aplicativos de RA do Google, que também está trabalhando em dois navegadores RA experimentais: um que usará ARCore e um que será executado no iOS com suporte para o ARKit.

Fonte: The Verge