Governo americano obrigará que drones sejam registrados

Por Redação | 19 de Outubro de 2015 às 12h19

Drones estão se tornando cada vez mais presentes no nosso dia a dia. Porém, apesar das claras vantagens de se ter um equipamento capaz de capturar imagens de alturas antes só possíveis com helicópteros, o uso indiscriminado desses "brinquedos para adultos" tem causado sérios problemas, principalmente nos EUA, onde existe uma enorme quantidade de aparelhos no mercado sendo oferecida a preços bem acessíveis.

Em julho, dois acontecimentos levantaram sérias questões sobre o assunto. Em Nova Iorque, no dia 31 de julho, um drone foi avistado pela tripulação passando logo abaixo do nariz da aeronave, um Airbus A320 da companhia aérea americana JetBlue, enquanto esta se aproximava para pouso no aeroporto JFK, um dos mais movimentados do país. No mesmo dia, poucas horas após este primeiro ocorrido, um drone passou a cerca de 30 metros de uma aeronave MD-88 com 154 passageiros enquanto esta também realizava o procedimento de pouso.

A320 da JetBlue

Aeronave da jetBlue quase acidentada

Drone

Drone envolvido no episódio

O segundo episódio ocorreu no dia 17 de julho, na California, quando aeronaves que estavam combatendo um incêndio florestal tiveram que ejetar suas cargas de água e abandonar a operação porque pilotos de drones colocaram os aparelhos no ar — provavelmente para filmar o incêndio.

Com esses e outros ocorridos em vista, o governo americano deve publicar uma nova regra exigindo que todos os drones comprados sejam registrados pelos donos. No entanto, ainda não houve nenhum pronunciamento oficial por parte do Departamento de Transportes dos EUA, então não sabemos como o processo irá funcionar e se a medida será retroativa, obrigando que drones já existentes sejam registrados.

Apesar de potencialmente causar protestos de usuários, a medida é importante, já que em casos como os incidentes com as aeronaves, caso houvesse um acidente seria praticamente impossível de encontrar os responsáveis. Se o drone chegasse um pouco pais perto, poderia ser sugado para dentro de uma das turbinas das aeronaves, o que causaria forte avaria no motor, transformando-se em uma tragédia, já que os aviões estavam em uma situação de baixa velocidade e altitude e uma recuperação ali seria quase impossível.

Arma anti-drone

Em meio a toda essa polêmica, na última sexta uma ONG americana anunciou uma "arma" anti-drone que utiliza ondas de rádio para bloquear a recepção de sinais de rádio de controle do drone, fazendo com que o seu "modo de segurança" seja ativado e o aparelho pouse sozinho. O dispositivo lembra uma arma e é composto por uma antena que direciona ondas de rádio que geram interferência na recepção do GPS e do controle remoto e será especialmente útil para forças policiais para combater o uso indevido dos drones.

Arma anti-drone

Legislação no Brasil

Como o assunto ainda é novo por aqui, tanto a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) quanto a Anatel ainda estão estudando como deverá ser feito o controle e certificação. De acordo com a página do governo brasileiro, já é necessário solicitar uma autorização da Anac para o uso comercial de drones. O uso recreativo (hobby) é inserido nas mesmas regras de aeromodelismo, logo não necessitam de autorização. Mais detalhes podem ser encontrados neste link.

Via NBC News e TomoNews.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.