Estudo revela que humanos se excitam ao tocar "partes íntimas" de robôs

Por Redação | 07 de Abril de 2016 às 10h43
photo_camera Reprodução de https://www.youtube.com/watch?v=DAlYi2Zmn8A

Estudos de um grupo de pesquisadores da Califórnia mostram que humanos podem ter uma resposta fisiológica ao tocar em um robô. Isso mesmo, os pesquisadores da Universidade de Stanford fizeram um experimento que observou que as pessoas podem ficar excitadas ao tocar "partes íntimas" de um robô humanoide. E olha que a equipe selecionou voluntários para um experimento com um robô que tinha menos de 60 centímetros de altura!

O destaque é que ele, além de ter braços, pernas, tronco, olhões e orelhas, tinha também uma voz, que, por vezes, lançava frases convidativas aos voluntários. Os resultados completos da ainda serão apresentados ao público na 66ª Conferência Anual da International Communication Association.

Até lá, conclusões preliminares afirmam que as pessoas produzem uma resposta equivalente à excitação quando tocam em alguns lugares no robô que corresponderiam, em humanos, aos órgãos genitais e à bunda. “Isso mostra que as pessoas reagem aos robôs de forma primitiva, social", disse Jamy Li, um dos pesquisadores, ao jornal The Guardian.

"As convenções sociais sobre tocar partes privadas de outras pessoas também se aplicam a partes de robôs. A pesquisa tem implicações para o design de robôs e a teoria de sistemas artificiais”, completa Jamy. O experimento foi realizado com o robô Nao, que dizia a cada um dos dez participantes para tocar uma de suas treze partes do corpo.

Os cientistas analisaram as reações dos 6 homens e 4 mulheres voluntários por um sensor que eles seguravam com a mão não-dominante, enquanto a mão dominante tocava o pequeno robô. Era esse sensor o responsável por indicar as alterações emocionais e fisiológicas de cada pessoa.

Fonte:

The Guardian

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.