Atlas, o robô humanoide do Google, agora é capaz de correr ao ar livre

Por Redação | 18.08.2015 às 13:58
photo_camera Divulgação

Os robôs desenvolvidos pela Boston Dynamics, comprada pelo Google — agora Alphabet — em 2013, parecem não ter limites. As máquinas impressionam pelos movimentos, mas também assustam porque, aos poucos, estão imitando com perfeição o comportamento de animais selvagens. E o Atlas, um dos robôs humanoides da companhia, ganhou uma novidade: ele agora pode se adaptar a terrenos acidentados, como montanhas e florestas.

Em um vídeo divulgado na última semana, é possível ver como o Atlas reage a ambientes mais abertos. Até então, os testes eram feitos apenas dentro de laboratórios, mas mesmo assim o robô bípede respondeu muito bem diante de pedras e outros obstáculos — ele conseguiu andar sobre elas e manteve o equilíbrio. Em outro teste, foi atingido por uma pacada equivalente a 20 Kg e ainda assim permaneceu em pé.

Agora que está passando por experimentos ao ar livre, a máquina é capaz de reagir a outros tipos de problemas de acordo com a pista. Neste caso foi um bosque: ao perceber que o terreno é mais inclinado, ele se movimenta de um jeito bem mais cuidadoso, como se soubesse exatamente onde está pisando. Caso a superfície seja um pouco mais plana e com menos vegetação ao redor, o Atlas anda com mais velocidade.

De acordo com Marc Raibert, fundador da Boston Dynamics, por enquanto o Atlas ainda precisa ser monitorado através de um longo cabo conectado em seu corpo. A ideia é que uma atualização futura permita dispensar o uso desse componente. "Estamos fazendo um bom progresso para que ele tenha maior mobilidade. Não estou dizendo que ele pode fazer tudo o que vocês podem fazer, mas, se nós continuarmos pressionando, chegaremos lá", disse.

O novo protótipo foi exibido durante a 11ª Conferência Fab Lab, realizada em Boston, nos Estados Unidos. Assista:

Fundada em 1992 por estudantes do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), a Boston Dynamics já trabalhoou diretamente com o Pentágono e a Darpa, Agência de Pesquisa Avançada e Projetos de Defesa dos Estados Unidos.

Entre as principais criações da entidade está o Cheetah (leopardo, em português), que atinge a velocidade de 46,6 quilômetros por hora — mais rápido que o medalhista olímpico Usain Bolt. Outro robô, chamado BigDog (cachorro grande), consegue subir em superfícies altas e se deslocar em terrenos cheios de lama e outros obstáculos. Já o Spot é uma versão menor, mais ágil e equilibrada do WildCat, outra máquina superresistente da companhia.

Há também o Petman, um robô que pode detectar ataques químicos, além do LS3, que pode andar em qualquer tipo de terreno e foi criado para carregar suprimentos para militares em missões oficiais — sem a necessidade de alguém no comando, pois a própria máquina acompanha o grupo automaticamente. O Atlas, que tem 1,88 metro de altura e 156 quilos, também é focado em situações de resgate.

Fonte: The Next Web