Microsoft substitui vigias humanos por robôs de segurança em sua sede nos EUA

Por Redação | 25 de Novembro de 2014 às 11h24

Os robôs parecem estar cada vez mais onipresentes nas manchetes de tecnologia. Depois de Elon Musk ter declarado publicamente seu temor da criação de robôs assassinos em um futuro mais próximo do que se imagina, agora é a vez da Microsoft percorrer o caminho inverso e demonstrar confiança na capacidade dos robôs em prover, justamente, segurança aos humanos - pelo menos à propriedade privada.

Esta é a ideia que fundamenta um projeto piloto da startup Knighscope, iniciado no campus da Microsoft no Vale do Silício. Certamente não se trata do início do Apocalipse Robótico, mas os robôs que aparecem no vídeo divulgado pelo site Digital Trends parecem ter saído diretamente de um filme de ficção científica.

Batizados de Knightscope K5, as máquinas pesam 136kg e têm 1,50m de altura. Para o alívio daqueles que compartilham dos mesmos receios de Musk, eles não usam armas, mas utilizam câmeras e sensores para monitorar o ambiente a sua volta à procura de atividades suspeitas. Eles podem registrar números de placas de carros e possuem software de análise e reconhecimento facial. Além disso, eles possuem alarmes e sirenes instalados para alertar quando algo está errado.

Ao identificar um problema que exija atenção humana, os robôs contatam alguma pessoa da equipe de segurança. Os robôs K5 também utilizam scanner a laser, GPS para navegação, sensores climáticos e, obviamente, conectividade wi-fi. A bateria dura 24 horas e pode ser recarregada em apenas 20 minutos. Não há risco da bateria acabar com o K5 em atividade de campo, pois os robôs retornam sozinhos para a estação de carregamento pouco antes da carga terminar.

Os K5 ainda não podem substituir completamente os empregados humanos, mas sua inserção no campus da Microsoft ocorre em um momento no qual as atenções do público e da imprensa estão voltadas para a robótica aplicada à segurança e suas implicações.

Os robôs estão desempenhando um papel cada vez maior em operações militares e de segurança privada. A companhia Boston Dynamic, por exemplo, que é de propriedade do Google, tem trabalhado em conjunto com a DARPA, divisão de alta tecnologia do Exército americano, para desenvolver vários tipos de robôs que ajudem os soldados em cenários de batalha. Do mesmo modo, a Knightscope planeja atingir novos mercados no futuro e fornecer robôs para a polícia. Assim, os sucessores do K5 podem não ser tão inofensivos.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.