China deverá ter mais de 400 mil robôs operando em indústrias até 2017

Por Redação | 06 de Fevereiro de 2015 às 15h28
photo_camera Foto: Divulgação
Tudo sobre

Opera

A China deverá ter mais robôs operando em suas fábricas até 2017, mais até do que qualquer outro país, segundo anúncio da Federação Internacional de Robótica (IFR) na última quinta-feira (05). Porém, de acordo com informações da Reuters, atualmente a China está para trás. O país tem poucos robôs para cada 10 mil funcionários empregados em indústria de manufaturados, sendo apenas 30, comparando com a Coreia do Sul, que conta com 437, o Japão, que tem 323, a Alemanha, que emprega 282 e os Estados Unidos, com 152.

As estimativas da IFR são que a China dobre o estoque operacional de robôs industriais para 428 mil até 2017. Isso porque a inflação salarial fez com que as montadoras construíssem mais fábricas no país, aumentando a competitividade.

A secretária geral da sede de Frankfurt da IFR, Gudrun Litzenberger, afirma que "as empresas são obrigadas a investir em mais robôs para se tornarem mais produtivas e aumentarem a qualidade". Gudrun também comenta que "na fase atual, é a vez das indústrias automobilísticas, mas nos próximos dois ou três anos, será a indústria de eletrônicos".

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

As fabricantes japonesas de robôs ainda têm a maior porcentagem do mercado, com aproximadamente 60%, mas os chineses estão crescendo rapidamente, com cerca de um quarto do mercado. Os fornecedores restantes são europeus e norte-americanos.

Quatro fabricantes estrangeiras de robôs já têm as suas instalações na China: ABB, da Suíça, Kuka, da Alemanha, e Yaskawa e Fanuc, do Japão. Segundo o diretor da ABB Robotics, Per Vegard Nerseth, as instalações na China acabaram de começar, mas o crescimento está mais rápido do que esperavam, superando as expectativas.

A indústria automotiva é a maior cliente de robôs na China, representando cerca de 40% da operação, visto que o país também tem o maior mercado de automóveis do mundo. As fabricantes europeias, como a Volkswagen, estão investindo no país e levando os seus fornecedores de robótica, assim como deverão fazer as indústrias de eletrônicos, futuramente.

A Foxconn, de Taiwan, fabricante de iPhones e iPads, já está produzindo os seus próprios robôs, além de usar alguns de outros fornecedores.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.