Xerox vê receita diminuir devido às baixas vendas de impressoras

Por Redação | 25 de Abril de 2016 às 11h10

Os números envolvendo o relatório financeiro do último trimestre da Xerox não são muito animadores. Atingida pela forte taxa cambial do dólar e pela queda nas vendas de impressoras e copiadoras, a empresa registrou um declínio de 4,2% em sua receita no trimestre. A empresa passou a se concentrar em seu negócio de serviços, que compreende a terceirização de processos de negócios e outsourcing de documentos, tendo em vista que as vendas de impressoras e copiadoras caíram nos últimos anos.

A Lexmark, sua principal concorrente, disse na semana passada que havia chegado a um acordo de venda para um grupo de investidores liderados pela empresa chinesa Apex Technology, Legend Capital Management e PAG Asia Capital. O negócio estaria avaliado em US$ 3,6 bilhões. O objetivo não é encerrar as operações da Lexmark, mas utilizar o capital e recursos de seus compradores para expandir sua presença na Ásia-Pacífico, além de outros países emergentes.

Enquanto a Xerox não segue pelo mesmo caminho, a empresa divulgou que a receita envolvendo seu negócio de tecnologia, que inclui as vendas de impressoras e copiadoras, caiu 10%, para US$ 1,6 bilhão. Em fevereiro, a empresa havia afirmado que se dividiria em duas companhias, uma atuando no legado de produtos de impressão e outra focada na unidade Business Process Outsourcing. A cisão está prevista para acontecer ainda este ano.

A corporação afirmou que espera um lucro ajustado de 24 centavos a 26 centavos por ação para o segundo trimestre. Apesar das boas previsões, seu lucro líquido caiu para US$ 34 milhões, ou 3 centavos de dólar por ação, no primeiro trimestre encerrado em 31 de março. Na comparação com o ano anterior, foi registrado US$ 225 milhões, ou 19 centavos de dólar por ação. As ações da companhia já caíram 15% nos últimos 12 meses.

A companhia sediada em Norwalk, no estado norte-americano de Connecticut, registrou uma receita de US$ 4,28 bilhões e ganho de 22 centavos por ação, inferior aos US$ 4,47 bilhões do trimestre anterior. Apesar disso, ela manteve-se perto das estimativas dos analistas segundo a Thomson Reuters I/B/E/S, que aguardavam por um lucro de 23 centavos por ação e US$ 4,24 bilhões em receita.

Via Reuters

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.